Prefeitura apresenta nova proposta de reajuste para os servidores da Educação de Goiânia

Postado em: 06-04-2022 às 13h47
Por: Augusto Sobrinho
Executivo mantém o percentual de 10,16% para reajuste salarial | Foto: Reprodução

Enquanto a greve dos professores e funcionários administrativos da educação já dura 23 dias, as negociações entre o Sindicato dos Trabalhadores em Educação em Goiás (Sintego) e a Prefeitura de Goiânia parecem sem fim. Nesta quarta-feira (06/04), o prefeito Rogério Cruz (Republicanos) enviou à Câmara uma nova proposta.

Segundo o líder do prefeito, vereador Anselmo Pereira, o projeto trata sobre a data-base dos servidores municipais e o reajuste dos servidores da Educação. A prefeitura bateu o pé e manteve o percentual de 10,16% para reajuste salarial aos servidores do Magistério e dos trabalhadores administrativos da Educação.

Entretanto, ainda será discutida com a categoria o reajuste dos vencimentos no valor de 32,7% aos profissionais da Educação I (PE-I) e de 10,16% aos profissionais da Educação II (PE-II). O Sintego reivindica o percentual de 33,24% para o reajuste salarial conforme estabelecido pelo Governo Federal. 

“Existe uma Lei Federal que define que, todo início de ano, o Ministério da Educação (MEC) deve anunciar o percentual de reajuste e, neste ano, foi 33,24%. […] Toda vez que tem lei que é para melhorar o salário dos professores, cria-se essa dificuldade toda e tudo quanto é argumento para contrapor e não respeitar a educação”, afirma.

Confira a íntegra do documento aqui.

Compartilhe: