Pregão dos ônibus elétricos do Eixo Anhanguera pode ser suspenso após cobranças do MPGO

Postado em: 26-04-2022 às 13h41
Por: Augusto Sobrinho
Órgão questiona estudo de viabilidade econômico e manutenção dos veículos | Foto: Divulgação/Mel Castro

Nas últimas semanas, a Metrobus Transporte Coletivo S.A. anunciou que pretende adquirir 114 ônibus elétricos para integrar a frota de transporte público no Eixo da Avenida Anhanguera em Goiânia. Entretanto, nesta terça-feira (26/4), o Ministério Público de Goiás (MPGO) recomendou a suspensão imediata do Pregão Eletrônico.

O pregão está programado para o dia 4 de maio, mas, de acordo com o órgão, é necessário a conclusão do estudo de viabilidade econômico-financeira pelo Tribunal de Contas do Estado de Goiás (TCE-GO) dos serviços a serem licitados.

A promotora de Justiça, Leila Maria de Oliveira, destaca que o valor global do contrato é de R$ 1.460.726.096,76 e que não há estudo técnico ou planilha de custos comparativos entre a viabilidade de comprar ou locar os ônibus elétricos.

Além disso, foi dado o prazo de 20 dias para a Metrobus informar o motivo da escolha do modelo específico de ônibus elétrico e qual é a facilidade de serem encontradas peças de reposição, material e mão de obra qualificada para executar a manutenção, bem como o quanto isso pode impactar nos cofres e nas despesas.

Compartilhe: