Boletim Escolar da rede pública de ensino em Goiás passa a ser digital; veja como acessar

Apesar da facilidade ao acesso do Boletim Escolar, a Seduc ressalta que a presença dos pais ou responsáveis é imprescindível

Postado em: 27-07-2022 às 08h06
Por: Rodrigo Melo
Apesar da facilidade ao acesso do Boletim Escolar, a Seduc ressalta que a presença dos pais ou responsáveis é imprescindível | Foto: Reprodução/Seduc

O Boletim Escolar digital foi lançado para alunos da rede pública estadual de ensino em Goiás, que dispensa a necessidade de ir às unidades escolares em busca do documento. De acordo com a Secretaria Estadual da Educação (Seduc), o proposta deve facilitar a vida dos pais ou responsáveis para acompanharem o desempenho desses estudantes.

O sistema de consulta on-line e de emissão do boletim pode ser acessado pelos portais Expresso e NetEscola, a partir de qualquer dispositivo que dê acesso à internet. (Veja o vídeo no final)

Como ter acesso ao boletim?

Para acessar o Boletim Escolar por meio do portal Expresso é necessário estar cadastrado na plataforma Gov.br. Ao informar seu CPF nessa página eletrônica, o solicitante será redirecionado ao aplicativo do boletim digital, que poderá ser baixado e impresso. Além do acesso pelo site expresso.go.gov.br, o usuário pode realizar o download do aplicativo Expresso Goiás para sistemas Android e iOS.

Continua após a publicidade

A emissão do documento pelo NetEscola também exige um login e uma senha de acesso para o site portalnetescola.educacao.go.gov.br ou aplicativo para smartphones NetEscola. Os estudantes da rede pública estadual já possuem seus dados cadastrados no Sistema de Gestão Escolar (Sige). Já os pais ou responsáveis pelos alunos precisam procurar a escola de seus filhos e fazer o cadastro.

Participação da família

Apesar da facilidade ao acesso da população ao Boletim Escolar, disponibilizado agora sua versão digital, a Seduc ressalta que a presença dos pais ou responsáveis pelos alunos nas instituições de ensino da rede pública estadual é imprescindível.

“A ferramenta que criamos não deve nunca substituir a ida do pai ou da mãe à escola, já que o processo de aprendizagem do estudante está completamente vinculado ao comprometimento e acompanhamento de perto de sua família”, frisa a secretária de Educação, Fátima Gavioli.

Leia também: Ministério da Economia diz que saúde e educação devem receber cortes

Veja o vídeo demonstrativo:

Veja Também