Homem que matou tio e sobrinha durante briga no trânsito é condenado a 51 anos de prisão, em Aparecida

Segundo o MPGO, a discussão teve início quando uma das vítimas tentou estacionar o carro em uma avenida movimentada, e encostou a traseira do veículo na parte dianteira do carro do acusado.

Postado em: 03-08-2022 às 15h38
Por: Ícaro Gonçalves
Segundo o MPGO, a discussão teve início quando uma das vítimas tentou estacionar o carro em uma avenida movimentada, e encostou a traseira do veículo na parte dianteira do carro do acusado | Foto: Reprodução

Um homem de 27 anos foi condenado na terça-feira (2/8) a 51 anos de prisão pelo homicídio de duas pessoas após discussão de trânsito. Jhonan Ferreira Brandão tinha 18 anos quando atirou contra as vítimas Edson Teixeira Aires e da sobrinha dele, Ana Clara Teixeira Tavares, em 2013. O julgamento ocorreu no Tribunal do Júri de Aparecida de Goiânia.

De acordo com o Ministério Público de Goiás (MPGO), a discussão no trânsito teve início quando Edson tentou estacionar o carro em uma avenida muito movimentada da cidade, e encostou a traseira do veículo na parte dianteira do carro do acusado. Por não querer confusão, Edson deixou o local junto com a sobrinha e irmã, Angélica Teixeira Tavares, mas foi perseguido por Jhonan, que possuía uma arma dentro do carro.

Leia também: Primeiro quadrimestre teve aumento de 85% em mortes no trânsito

Continua após a publicidade

A denúncia oferecida pelo MPGO, por meio do promotor Milton dos Santos Júnior, ainda relata que ao alcançar o veículo das vítimas, Jhonan atirou contra elas ainda dentro do veículo. Edson morreu na hora. A garota de 7 meses chegou a ser socorrida, mas faleceu alguns dias depois no hospital. Já Angélica, mesmo ferida, conseguiu sobreviver após um período de internação hospitalar.

Ao calcular a pena do réu, o juiz levou em conta as atenuantes por Jhonan ter confessado os crimes espontaneamente e também por ser menor de 21 anos à época dos fatos. No entanto, o magistrado considerou como agravante a intensidade do dolo e ainda a conduta social do rapaz, com o uso de drogas ilícitas e a prática de outros delitos.  O cumprimento da pena será em regime inicialmente fechado. O réu, que já se encontrava preso, também não poderá recorrer da sentença em liberdade.

Com informações do Ministério Público de Goiás

Veja Também