Quinta-feira, 29 de fevereiro de 2024

Educação é dificultada pela era das distrações no pós-pandemia

Maioria dos participantes escutados por uma pesquisa da EdWeek Research apontam que baixo engajamento é o principal problema

Postado em: 09-08-2022 às 08h21
Por: Maria Paula Borges
Imagem Ilustrando a Notícia: Educação é dificultada pela era das distrações no  pós-pandemia
No estudo, 68% dos participantes escutados apontaram que o baixo engajamento dos estudantes é o principal problema | Foto: Reprodução

A educação enfrenta diversos desafios, tanto em sala de aula quanto fora dela, principalmente por distrações cotidianas e a volta às escolas após a pandemia. Uma pesquisa realizada pelo EdWeek Research Center instalou um quadro de apreensão no segmento educacional, depois de ouvir 630 professores nos Estados Unidos. 

No estudo, 68% dos participantes escutados apontaram que o baixo engajamento dos estudantes é o principal problema. Além disso, outras barreiras citadas foram problemas comportamentais (59%), quarentenas estudantis (55%), demandas da saúde mental dos alunos (54%) e suporte insuficiente dos pais (52%).

Entretanto, a professora de inglês, Lorena Félix, afirma que existe um outro problema, o celular. “A principal distração dos alunos hoje é o celular, eles têm dificuldade de saber o momento certo de usar e às vezes atrapalha o desempenho em sala de aula”, diz. 

Continua após a publicidade

O não uso de celular em sala de aula é uma regra básica, mas alguns professores escutados pelo estudo da EdWeek Research apontaram que as normas estão sendo ignoradas pelos estudantes. A pesquisa informa que na escola de Ensino Fundamental C.W Ruckel, na Flórida, os professores acharam como alternativa afrouxar a proibição do uso de celulares durante as aulas, já que recolher os aparelhos dos estudantes estava inviável. 

Nessa mesma escola, os professores observaram que, devido ao uso do excessivo dos celulares, os alunos também estão enfrentando dificuldade em formular as próprias respostas. De acordo com os ensinadores, é necessário que seja ensinado as crianças e que elas sejam conduzidas para onde elas precisam estar, mesmo que elas queiram desistir. 

Para juntar a tecnologia e o aprendizado, Lorena conta que utiliza recursos midiáticos para prender a atenção dos alunos. “A nossa escola é equipada com vários recursos de mídia. Conseguimos usar a internet, vídeos e alguns recursos durante as aulas”.

Mas quando não são utilizados, a falta de atenção por parte dos estudantes ainda é outro fator que dificulta o aprendizado completo nas escolas. Segundo Lorena, a metodologia encontrada para que eles fiquem mais atentos é repassar o roteiro do período para os alunos, deixando pré-estabelecida a rotina do dia. “Para manter os alunos atentos, no início da aula nós passamos o roteiro do período e já deixamos combinado o que iremos fazer e o que precisamos para que as atividades se realizem. Eles entendem que precisam se concentrar por pequenos momentos com pequenos intervalos também”, explica. 

Sobre as demandas mentais e suporte insuficiente dos pais, também citados pelos professores escutados pela pesquisa, Lorena aponta que os dois andam lado a lado, uma vez que muitos alunos são carentes de cuidado e alimentação. “Os alunos vêm de um contexto bem violento, muitos são carentes de cuidado e até alimentos mesmo. Nosso desafio é passar conteúdos realmente relevantes para eles e fazer com que venham o real sentido de uma boa educação, já que nem a família valoriza tanto a escola e o aprendizado do próprio filho”, afirma.

Veja Também