Policlínica Estadual de Formosa inicia serviço de hemodiálise

Pacientes do município e da região do Entorno do DF agora tem atendimento mais próximo às suas casas

Postado em: 10-08-2022 às 08h02
Por: Redação
Os pacientes são acolhidos por uma equipe de atendimento psicológico que acompanha cada um deles, incentivando a não desistirem do tratamento | Foto: Iron Braz

A regionalização da saúde avança em Goiás, com a meta de proporcionar a assistência que o cidadão precisa, o mais perto possível de sua moradia.  Agora é a vez de Formosa, no Entorno do Distrito Federal, receber um serviço de hemodiálise que já funciona desde essa segunda-feira, 08, na Policlínica da cidade, atendendo até 42 pessoas, em três turnos : manhã, tarde e noite.

“Um serviço mais próximo das pessoas é um direito dos nossos usuários. E pacientes críticos como os renais crônicos agora terão tratamento mais facilitado, com acesso mais próximo e de forma humanizada”, destacou, acrescentando que em Formosa, os benefícios são principalmente para os pacientes do município e das regiões do Entorno do Distrito Federal e do Nordeste Goiano. 

A Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES-GO) segue o planejamento de instalar hemodiálise em cada uma das policlínicas inauguradas pelo Governo estadual. Inaugurada em março de 2022, a unidade de Formosa passa a ser a quarta Policlínica Estadual a oferecer hemodiálise aos pacientes renais crônicos, benefício que já existe nos municípios de Posse, Goianésia e Quirinópolis.

Continua após a publicidade

Segurança e conforto

A implantação da hemodiálise traz segurança e conforto para os pacientes, reduzindo os riscos de problemas em decorrência do deslocamento para locais mais distantes. As solicitações dos agendamentos continuam sendo realizadas pelos municípios para o Complexo Regulador Estadual.

Os pacientes são acolhidos por uma equipe de atendimento psicológico que acompanha cada um deles, incentivando a não desistirem do tratamento.“Nosso maior interesse é que o paciente finalize o tratamento, e depois o transplante. Por isso, avaliamos a adesão, análise da rede de apoio, do contexto social e financeiro, tudo que influencia a adesão”, afirma a psicóloga hospitalar da Policlínica de Formosa, Camila Abgail, acrescentando que, caso o paciente falte sessões, contacta-se o mesmo para se verificar o motivo da ausência.

Perto de casa

Em tratamento de hemodiálise há seis anos, Jorge Alberto Gonçalves teve que parar de trabalhar como operador de máquinas por causa da saúde. Ele afirma que o novo atendimento  o beneficiou bastante, pois mora no Parque da Colina, a seis quilômetros da policlínica.  “Antes, eu tinha que ir para Posse, a 235 quilômetros, três vezes por semana, para fazer o tratamento. Agora tá bem mais fácil”, relatou. 

Ilma Gonçalves de Siqueira faz tratamento de hemodiálise há dois anos e quatro meses. “Era cansativo demais viajar três horas e meia para fazer tratamento em Posse. A expectativa nossa está muito grande com essa policlínica”, afirmou.

Moradora de Formosa, Aparecida Neres Dionísio também foi beneficiada com a inauguração do novo serviço. Às segundas, quartas e sextas-feiras, ela precisava se deslocar para Posse para fazer hemodiálise. “Agora estou mais otimista”, disse. 

Abrangência

A Policlínica Estadual de Formosa é referência para 31 municípios do Estado, com abrangência nas regiões do Entorno do Distrito Federal e Nordeste Goiano.

A unidade é equipada com 26 consultórios, para atendimento em 22 especialidades médicas, como cardiologia, dermatologia, endocrinologia, gastroenterologia, ginecologia, mastologia, nefrologia, neurologia, pediatria, ortopedia, pneumologia e reumatologia. Conta ainda com nove equipes multiprofissionais.

A estrutura dispõe também de 16 salas para realização de exames de imagem, um laboratório e suporte itinerante para realização de tomografia e mamografia.

Veja Também