Enel acumula prejuízos com ‘gatos’ e desliga redes clandestinas

A empresa desliga mais de mil instalações irregulares em Aparecida de Goiânia

Postado em: 02-05-2018 às 06h00
Por: Sheyla Sousa
A empresa desliga mais de mil instalações irregulares em Aparecida de Goiânia

Raunner Vinicius Soares*

Continua após a publicidade

A distribuidora de energia Enel, antiga Companhia Energética de Goiás (Celg), desliga mais de mil instalações de uma rede clandestina de energia elétrica que abastece três bairros de Aparecida de Goiânia, Região Metropolitana da Capital. Em 2016, quando a empresa era estatal, a Delegacia do Consumidor (Decon) com o apoio do antigo Setor de Fiscalização da Celg, e também, com apoio da Polícia Técnico – Cientifica, localizou 11 unidades de furtos de energia de grandes consumidores, como industriais, supermercados e postos de combustíveis. O prejuízo estimado nessa operação é superior a R$ 35 milhões.

A Polícia Civil apresentou, em 2017, os resultados de uma operação contra furto de energia elétrica em Goiás, realizada em parceria com a Celg. A Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Contra o Consumidor (DECON) autuou três estabelecimentos em Aparecida de Goiânia e outros três em Goiânia. Na Capital, a fiscalização aconteceu em uma empresa de reciclagem, uma de informática e em um supermercado. Na empresa de reciclagem foi detectada ligação clandestina de energia. Já em Aparecida, um motel, uma fábrica de concreto e um supermercado apresentaram irregularidades nos medidores de energias. Os aparelhos dos três estabelecimentos indicavam consumo menor do que o que de fato ocorria. A polícia informou que os medidores foram apreendidos para análise.

Segundo a Enel, o furto de energia causa prejuízos para a empresa, que perde a energia comprada para ser distribuída aos clientes em situação regular, e também para o consumidor, por conta das sobrecargas do sistema e das variações de tensão, que podem ocasionar a queima de eletrodomésticos.

Perguntado sobre os dados gerais de prejuízos causados por gatos de Goiás, ou Região Metropolitana, a assessoria da Enel alegou não ter essas informação sobre esses dados, mas, no Brasil, concessionárias estimam que o furto de energia cause prejuízo de R$ 12 bilhões por ano. 

Segundo recente pesquisa da Associação Brasileira dos Distribuidores de Energia Elétrica (Abradee), o número de consumidores que deixaram de pagar suas contas de luz no último semestre, aumentou mais de 50% apenas nas regiões sul e sudeste do país. Evidenciando um custo abusivo nestas contas. 

As regiões onde a Enel fez os desligamentos, em Aparecida de Goiânia, eram de bairros periféricos.

‘Gato’ é crime

A Enel Distribuição Goiás ressalta que o furto de energia é crime previsto no Artigo 155 do Código Penal brasileiro, onde subtrair, para si ou para outrem, coisa alheia móvel, prevê pena de 1 a 4 anos, e multa. E além de colocar em risco a segurança dos usuários dessa energia as ligações irregulares são um risco para quem tenta manipular a rede, e também podem causar curtos-circuitos e sobrecargas na rede elétrica, ocasionando a interrupção no fornecimento do serviço.

Para conscientizar a população sobre o furto de energia, a companhia realiza operações de combate às ligações irregulares. A distribuidora de energia, para evitar prejuízos, investe na construção de redes elétricas antifurto e na instalação de medidores com tecnologias mais modernas. (Raunner Vinicius Soares especial para O Hoje)  

Veja Também