Caso de recém-nascido jogado sobre muro deve ser arquivado, em Goiânia

As investigações constataram que a gravidez era desconhecida pela adolescente e pela família; ida a dois médicos também não constatou a gestação – Foto: Divulgação/CBM.

Postado em: 03-01-2020 às 14h25
Por: Nielton Soares
As investigações constataram que a gravidez era desconhecida pela adolescente e pela família; ida a dois médicos também não constatou a gestação – Foto: Divulgação/CBM.

Nielton Soares

O caso da adolescente de 16 anos que jogou um recém-nascido, após o parto, no quintal vizinho poderá ser  arquivado pela Polícia Civil de Goiás (PC-GO). As investigações concluíram que a garota e a família desconheciam a gravidez, que dias antes, ela tinha ido a dois médicos, que também não houve a constatação da gestação.  

Na unidade médica, a adolescente foi medicada e encaminhada para casa, dormiu e quando acordou sentiu as contrações do parto. Deu a luz no banheiro e jogou a criança sobre o muro da residência, no dia 17 de dezembro, no Jardim Planalto. 

Continua após a publicidade

À princípio, a polícia chegou a cogitar que a adolescente tivesse engravidada após sofrer abuso sexual em casa, porém a moça confessou que a criança foi fruto de uma primeira relação sexual que teve.

A criança continua internada no Hospital Materno Intantil (HMI) e está bem de saúde. Ao receber alta, deve ser entregue para a mãe. 

 

Veja Também