Fenabrave divulga pesquisa sobre vendas de veículos e mercado apresenta queda de 4,81%

As principais consequências para a redução desses resultados está atrelado a falta de peças e componentes eletrônicos nas três maiores montadores do país: Fiat, Volkswagen e General Motors.

Postado em: 06-07-2022 às 15h11
Por: Victória Vieira
As principais consequências para a redução desses resultados está atrelado a falta de peças e componentes eletrônicos nas três maiores montadores do país: Fiat, Volkswagen e General Motors | Foto: Reprodução

O mês de junho foi sinônimo de dificuldade para o setor de vendas de veículos. De acordo com dados divulgados pela Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores), o mercado apresentou uma queda de 4,81%.

A associação responsável pelas concessionárias, relatou que as vendas totais no mês passado foram de 178.063 unidades, sendo o maior entre eles, os carros de passeios como picapes, vans, caminhões e ônibus.

As principais consequências para a redução desses resultados está atrelado a falta de peças e componentes eletrônicos nas três maiores montadores do país: Fiat, Volkswagen e General Motors.

Continua após a publicidade

Além disso, os lockdowns ocorrido na China em razão do movimento ‘Covid-zero’ fez com que houvesse uma irregularidade na venda e exportação desses produtos, produzindo uma limitação de peças via transporte de navios e contêineres, causando um congestionamento nas embarcações pelo fechamento de portos no gigante asiático.

Entretanto, o cenário ainda pode lidar com uma maior queda durante esse mês, graças a paralização na fábrica da Nissan em Resende, no sul do Rio de Janeiro, e as férias de três semanas aos funcionários da Volkswagen em São José dos Pinhais, no Paraná, onde é montado o utilitário esportivo T-Cross.

“O histórico de crescimento das vendas no segundo semestre é de 13% e neste ano temos o sistema Renave para carros usados.”, explica o presidente da Fenabrave, José Maurício Andreta Júnior.

Apesar das situação, ele tranquiliza e avisa que o mercado pode melhorar, pois as concessionárias apresentam uma lista de pedido com 500 mil unidades.

Tudo depende também do montante de veículos semiacabados nas montadoras. Quando as peças que estão faltando chegam a esses locais, os veículos são liberados para as concessionárias.

Veja Também