Depois do Viagra e próteses penianas, Defesa também licitou R$ 37 mil em lubrificante íntimo

Postado em: 14-04-2022 às 14h53
Por: Carlos Nathan Sampaio
Vale lembrar que o gel lubrificante íntimo é, sim, utilizado em alguns procedimentos médicos, mas a grande quantidade do produto não possui ligação com hospitais militares | Foto: reprodução

Após a descoberta de compras polêmicas das Forças Armadas, como a de medicamentos para disfunção erétil (Viagra), para calvície, botox, e até próteses penianas infláveis, a revista Fórum apurou, também, que o Ministério da Defesa licitou a compra de R$ 37 mil em bisnagas de gel lubrificante íntimo. As informações são encontradas no portal da Transparência e as compras são referentes aos anos de 2019 e 2020, segundo a revista Fórum.

Vale lembrar que o gel lubrificante íntimo é, sim, utilizado em alguns procedimentos médicos, mas a grande quantidade do produto e a destinação para unidades que não possuem ligação com hospitais militares e divisões de saúde chamaram a atenção.

A 15ª Companhia de Infantaria Motorizada do Exército, sediada em Guaíra (PR), solicitou 10 tubos de bisnagas de 50g em lubrificantes intímos. O Centro de Aquisições Específicas da Aeronáutica da Ilha do Governador, pediu mil unidades pelo valor de R$ 19.990, enquanto o Centro de Intendência da Marinha em Manaus requiriu a mesma quantidade do produto, num custo de R$ 13.490.

Ainda segundo a Fórum, por conta do tamanho dos pedidos não foi possível determinar se as compras foram finalizadas como previsto, ou se tratavam apenas de pretensões de aquisição pelos órgãos subordinados ao Ministério da Defesa. Os editais envolviam um grande número de produtos e fornecedores na mesma licitação.

Compartilhe: