Premiê britânico admite que participou de festa durante lockdown em 2020 e pede desculpas

Postado em: 13-01-2022 às 10h42
Por: Giovana Andrade
Oposição pede renúncia de Boris Johnson, que está enfrentando duras críticas após revelação; na época, reuniões sociais estavam limitadas no Reino Unido. | Foto: Reprodução

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, foi bombardeado por críticas na última terça-feira (11/1) após o surgimento da informação de que seu secretário convidou, durante o primeiro lockdown contra o coronavírus, mais de 100 pessoas para uma festa onde “cada um leva sua bebida”, no jardim da residência oficial de Downing Street.

Nesta quarta-feira (12), pela primeira vez, Johnson admitiu que participou da festa em Downing Street em 20 de maio de 2020, quando as reuniões sociais estavam limitadas, e disse que entende a raiva que as revelações causaram.

“Sei a raiva que eles sentem de mim em relação ao governo que lidero, quando pensam que em Downing Street as regras não estão sendo seguidas adequadamente pelas pessoas que as fazem”, disse Johnson ao Parlamento. O premiê afirmou que se arrependeu da ação, e disse ter pensado que a reunião se tratava de um evento de trabalho – fala que provocou vaias de parlamentares da oposição.

“Entrei naquele jardim logo depois das 18h do dia 20 de maio de 2020 para agradecer a grupos de funcionários antes de voltar ao meu escritório, 25 minutos depois, para continuar trabalhando. Pensando bem, eu deveria ter mandado todos de volta para dentro.”

Johnson tem sido duramente criticado desde a circulação de um vídeo que mostra sua equipe rindo e brincando sobre uma festa em Downing Street durante o lockdown de Natal em 2020. As revelações sobre uma série de festas em Downing Street reuniram o escárnio popular com as críticas do líder de oposição do Partido Trabalhista, Keir Starmer, que disse que Johnson não tinha autoridade moral para liderar o país.

Starmer disse que Johnson agora deve renunciar e que o público o considera mentiroso. “A festa acabou, primeiro-ministro”, disse ao premiê.

Johnson e sua companheira Carrie estavam entre os que se reuniram com cerca de 40 funcionários no jardim de Downing Street no dia 20 de maio de 2020, após o secretário principal particular Martin Reynolds enviar um e-mail com o convite, conforme reportou o canal ITV.

“Depois de um período incrivelmente atribulado, pensamos que seria legal aproveitar ao máximo o tempo agradável e beber alguns drinks com distanciamento social no jardim do nº 10 esta noite”, disse Reynolds no e-mail. “Juntem-se a nós a partir das 18h e traga a sua própria bebida!”

Na época da festa, as escolas estavam fechadas para a maioria dos alunos, pubs e restaurantes estavam fechados, e havia rígidos controles sobre reuniões sociais. Cidadãos que realizaram festas chegaram a ser processados pela polícia, que ergueu pontos de checagem em algumas áreas do país e utilizou drones para monitorar alguns locais de reunião.

Diversas pessoas, incluindo alguns parlamentares, lembraram o fato de não poder estar ao lado de familiares e amigos antes de suas mortes em maio de 2020, em contraste com os eventos em Downing Street.

Compartilhe: