Em novos atos de preconceito, J.K. Rowling debocha de postagem em defesa da comunidade LGBTQ+

J.K. Rowling é alvo de polêmica desde 2020 por uma série de publicações consideradas transfóbicas nas redes sociais.

Postado em: 24-03-2022 às 09h53
Por: Ícaro Gonçalves
J.K. Rowling é alvo de polêmica desde 2020 por uma série de publicações consideradas transfóbicas nas redes sociais | Foto: Reprodução

A escritora J.K. Rowling, mundialmente conhecida pela saga de livros Harry Potter, voltou a ser alvo de críticas nesta semana após publicar novos comentários preconceituosos em sua conta no Twitter. Desta vez, Rowling fez piada com uma publicação feita pela Polícia do Sul do País de Gales, que tinha como objetivo combater crimes de ódio anti-LGBTQ+.

O caso começou após a Polícia do Sul do País de Gales decidir montar um quiosque de informações na cidade de Cardiff para mostrar os trabalho feitos no combate a crimes de ódio anti-LGBTQ+. A ação aconteceu próximo ao local onde um médico bissexual, chamado Gary Jenkins foi brutalmente espancado e morto, em um ataque homofóbico em 2021.

Banca de informações sobre ações da Polícia do Sul do País de Gales contra crimes de ódio | Foto: Reprodução

Com a iniciativa no local, internautas acusaram a polícia de desperdiçar viaturas que “deveriam estar à disposição da polícia”. Além disso, acusaram a polícia de fazer propaganda de suas ações (com uso do termo pejorativo “virtue signalling” ou, sinalização de virtude). Em resposta, o perfil respondeu: “Apoiar nossas comunidades não é uma sinalização virtual e não pedimos desculpas por isso.” Houve um erro de digitação, pois escreveram virtual ao invés de virtude — e tal erro foi o que incentivou J.K. Rowling a zombar da situação.

“Sinalização virtual. Como sinalização de virtude, mas para pessoas que não são realmente idiotas”, escreveu a autora. Após a postagem, J.K. Rowling foi criticada por zombar de uma publicação em prol da comunidade LGBTQ+.

Outras polêmicas

J.K. Rowling é alvo de polêmicas desde 2020, após escrever uma série de publicações consideradas transfóbicas nas redes sociais, recebendo críticas de espectadores e estrelas da saga Harry Potter. Em junho daquele ano, a escritora comentou o título de uma matéria, na qual ela criticava a expressão utilizada: “pessoas que menstruam”.

Para Rowling, o termo adequado a ser utilizado deveria ser “mulher”, ignorando o fato de que o texto tinha por objetivo ser inclusivo com homens trans que nasceram com o sexo biológico feminino e que, por isso, também menstruam.

Após isso, muitos fãs e até mesmo atores e atrizes que participaram dos filmes de Harry Potter, como Daniel Radcliff e Emma Watson, se disseram decepcionados com a postura de Rowling.

“Mulheres trans são mulheres. Qualquer afirmação que diga o contrário apaga a identidade e a dignidade da população trans e vai contra todos os conselhos dados por associações de profissionais de saúde, que sabem muito mais sobre o assunto do que eu ou a Jo (apelido de J. K.)”, disse Radcliff, que interpretou o protagonista da série de filmes.

Veja Também