Sábado, 05 de dezembro de 2020
GOIÂNIA-GO
{{tempo.temperatura}}°

Cultura

Editora Contexto lança romance sobre Cecília Gallerani

Postado em: 31-07-2018 às 15h00
A mulher retratada em quadro de Leonardo da Vinci, Cecília se torna a linha condutora do enredo de "A Amiga de Leonardo da Vinci".

 O quadro Dama com Arminho, de Leonardo da Vinci. (Reprodução Internet)

Da Redação 

Cecília Gallerani, imortalizada no famoso quadro Dama com Arminho do pintor italiano renascentista, é a linha condutora do romance histórico “A Amiga de Leonardo da Vinci”, do escritor espanhol Antonio Cavanillas de Blas. O livro será lançado em agosto deste ano, pela Editora Contexto. Gallerani foi uma mulher além do seu tempo, quebrando tabus e tradições do século XV. Aos 17 anos posou para Da Vinci, que a imortalizou no quadro Dama com Arminho, exposto no Museu Czartoryski, na cidade polonesa de Cracóvia.

O livro narra a vida de uma jovem inteligente que conseguiu firmar sua vontade e não se curvar diante da imposição de seu pai em casá-la com um homem muito mais velho e de alta linhagem. Cecília, graças às suas habilidades como poeta, conquistou a amizade de Leonardo da Vinci. Também deslumbrou Ludovico Sforza, governador da Lombardia e futuro Duque de Milão. Conhecido como "El Moro", travou conflitos pelo Ducado com Luís XII, rei da França. Sforza não hesitou em convidá-la a fazer parte de sua corte em Milão. Logo, tornaram-se amantes. A pedido de Ludovico, Da Vinci eternizou a jovem na tela abraçando Bimbo, um arminho que Cecília Gallerani conseguira domesticar.

“A Amiga de Leonardo da Vinci”, é uma viagem pelo mundo do Renascentismo e um relato de importantes acontecimentos históricos da Europa, como os conflitos para controlar os principais territórios da futura Itália e as conspirações papais pelo poder. No campo das artes, além de narrar a criação do quadro Dama com Arminho, apresenta histórias sobre outras obras do pintor como a Virgem das Rochas, A Última Ceia e Mona Lisa.

O autor fez uma notável pesquisa histórica e detalha, em uma nota final, os fatos reais em que se baseou. Ele conta a recente descoberta de uma perfeita réplica de Mona Lisa no porão do Museu do Prado, em Madri. Especialistas concluíram que o quadro, pintado por Andrea Salai ou por Francesco Melzi, discípulo de Leonardo, foi criado ao mesmo tempo de Mona Lisa. Esta teoria é romanceada no livro, supondo que Bartolomeo Del Giocondo pediu à Da Vinci duas cópias do retrato de sua esposa, Mona Lisa (Lisa Gherardini).

Sobre o autor: Antonio Cavanillas de Blas, nascido em Madri, é médico cirurgião de formação e escritor. Publicou vários romances históricos, entre eles “El Médico de Flandes”, “El León de ojos árabes”, “El prisionero de Argel”, “El cirujano de Al’ Andalus”, “El último cruzado”, “Harald el vikingo” e “La desposada de Flandes”. A Amiga de Leonardo da Vinci é sua primeira obra traduzida no Brasil.

Selo Marco Polo: lançado no ano passado pela Editora Contexto, o Selo inclui livros de ficção na linha de romances históricos. Os dois primeiros livros lançados neste segmento foram “Portões de Fogo”, do escritor americano Steven Pressfield, e “O Inquisidor”, da australiana Catherine Jinks. 

Seja o primeiro a comentar

Fazer comentário

Acesse sua conta para comentar, é rápido e gratuito.

Inscreva-se na newsletter e receba

conteúdo exclusivo

Digite aqui o que deseja pesquisar