29 de abril de 2017 - sábado

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Economia
Goiás
17/04/2017 | 14h30
Marconi anuncia FCO R$ 3 bilhões para 2017 e geração de empregos
De que 1989 até hoje, o FCO gerou ou manteve em Goiás mais de 1,5 milhão de empregos e, de 2004 até 2016, gerou na região quase 2 milhões de empregos

Ao dar posse hoje aos novos integrantes do Conselho de Desenvolvimento do Estado (CDE), o governador Marconi Perillo anunciou previsão recorde do Fundo Constitucional do Centro-Oeste (FCO) para este ano: R$ 3 bilhões de investimentos na economia goiana. Destacou a atuação do Banco do Brasil, instituição que, segundo ele, tem sido decisiva no fomento da economia goiana.

Em relação ao FCO, o governador afirmou que um ponto importante a ser destacado é a geração de emprego. De 2004 a 2016, planilha divulgada pelo Banco do Brasil, CDE e Secretaria do Desenvolvimento Econômico (SED) aponta a geração ou a manutenção de 1.975.652 empregos com os investimentos do FCO, na região Centro-Oeste. E de 1989, quando foi criado, até hoje, foram gerados ou mantidos, em Goiás, 1.541.711 empregos.

“Todo trabalho que nós desenvolvemos tem como objetivo exportar mais, produzir mais, agregar valor às cadeias produtivas. Tem como objetivo dinamizar a economia, trazer qualidade de vida, desenvolvimento. Mas o resultado que todos nós esperamos é que esse trabalho, esse esforço coletivo nosso resulte em empregos”, afirmou o governador.

Segundo ele, é impressionante o que aconteceu com o FCO nestas últimas duas décadas: “Um milhão e meio de empregados em Goiás”. Para ele, o que mais importa é que o FCO, gerando empregos, contribuiu para melhorar a vida das pessoas.

O superintendente da Sudeco (Superintendência de Desenvolvimento do Centro-Oeste), Antônio Carlos Nantes de Oliveira, defendeu na reunião que o FCO tenha como característica principal o fomento, “com exigências menores que não comprometam o objetivo maior do fundo”.

Números – Para este ano, de acordo com informações do secretário executivo do FCO, Danilo Gomes, a previsão é a de que o FCO injete R$ 3 bilhões na economia goiana este ano, R$ 1,2 bilhão a mais em relação a 2016. De 1989 a 2017, o montante destinado do FCO para Goiás somou R$ 22,21 bilhões, em 396.800 operações contratadas, representando 33% das aplicações no Centro-Oeste.

Em relação ao quantitativo de empregos gerados este foi o desempenho ano a ano: 2004 foram 57.238 empregos, contra 200.723 registrados em 2016. O ano em que o FCO mais gerou empregos foi 2012: 208.355. Os números atuais revelam tendência de retomada do crescimento econômico. Para se ter ideia, em 2004 o Fundo financiou 790 projetos em Goiás, contra 1.680 registrados em 2016. No período, o maior volume de cartas consultas contempladas foram nos anos de 2011 (2.064) e 2013 (2.039).

Participaram também da solenidade o vice-governador José Eliton, o secretário estadual de Desenvolvimento, Francisco Pontes, o superintendente regional do Banco do Brasil em Goiás, Pablo da Silva Ricoldy, técnicos da área econômica do governo estadual, gerentes e representantes de federações e sindicatos empresariais. 

Tópicos:

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)