16 de dezembro de 2018 - domingo

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Economia
Economia
06/10/2018 | 06h00
Empresas goianas sonegaram R$ 39 milhões em FGTS
Segundo órgão, R$ 4 milhões já foram recebidos do FGTS e repassados aos trabalhadores. Os outros R$ 35 milhões ainda são revisitados em ações judiciais

A Superintendência do Ministério do Trabalho em Goiás (STRE-GO) informou, nesta sexta-feira (5), que as empresas de Goiás sonegaram R$ 39 milhões em Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) no primeiro semestre de 2018. Deste total, R$ 4 milhões já foram recebidos e repassados aos trabalhadores. Os outros R$ 35 milhões ainda são revisitados em ações judiciais.

De acordo com o superintendente do Ministério do Trabalho em Goiás, Eduardo Amorim, o número é menor que o mesmo período do ano passado, de R$ 45 milhões. Porém, conforme ele afirma que a procura ao órgão para denunciar a falta de recolhimento do benefício aumentou 90% no mesmo período. “Atuamos de duas formas: através de denúncias dos trabalhadores e sindicatos ou por visitas voluntárias dos próprios fiscais às empresas. Elas são notificadas e tem um prazo de até oito dias para se manifestar a respeito”, explica.

No primeiro semestre deste ano, 230 empresas goianas foram fiscalizadas, sendo que em 86% dos casos foram encontradas irregularidades. De acordo com Eduardo Amorim, em tempos de crise, é comum o empresário deixar de pagar o FGTS e remanejar para outros fins, justamente porque poucos trabalhadores têm ciência do não pagamento.

“É muito importante o trabalhador usar os canais de monitoramento do FGTS para que possa conferir se o pagamento é feito regularmente. É importante ressaltar que com 5 anos o benefício prescreve, ou seja, se o trabalhador contribuiu 10 anos em uma empresa e deixa para fazer a denúncia só na saída, ele vai receber apenas 5 anos,” explica o superintendente.

EXTRATO

Para ver o saldo do Fundo de Garantia, o trabalhador tem as seguintes opções: Fazer o cadastro no site da Caixa. Para isso, será necessário o número do NIS e uma senha (pode usar a do Cartão Cidadão); Baixar o aplicativo FGTS, disponível para iOS, Android e Windows Phone, e acompanhar o extrato.

Fazer o cadastro gratuito no site da Caixa e receber mensalmente, pelo celular, informações sobre saldo, extrato, depósito, correções e saques por SMS. Tirar extrato da conta de FGTS nas agências, casas lotéricas, correspondentes bancários e outros canais físicos vinculados à Caixa Econômica Federal. Basta levar a carteira de trabalho com número do PIS e solicitar o extrato.

Receber o extrato no endereço residencial, a cada dois meses. Se não estiver recebendo o extrato ou o SMS, o trabalhador deverá informar seu endereço completo aqui, em uma agência da Caixa ou pelo 0800 726 01 01.

FGTS

O FGTS corresponde a 8% do salário do funcionário e deve ser depositado mensalmente em uma conta da Caixa Econômica Federal vinculada ao contrato de trabalho. O trabalhador pode consultar o saldo pelo site da Caixa ou por um aplicativo. Também é possível retirar o extrato em qualquer agência ou receber o saldo por SMS ou, a cada dois meses, pelos Correios.

Após o rompimento do contrato de trabalho, o funcionário tem até dois anos pra requisitar o benefício relativo aos últimos cinco anos no emprego. Passado esse período, ele perde o direito ao benefício. 

Tópicos:

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)