Vítima de estupro coletivo no Rio confirma participação de 10 homens no crime

Mulher de 34 anos foi incluída no Programa de Proteção a Testemunhas do Governo do Estado

Postado em: 23-10-2016 às 17h05
Por: Redação
Mulher de 34 anos foi incluída no Programa de Proteção a Testemunhas do Governo do Estado

A vítima de um estupro coletivo em São Gonçalo, no Grande Rio, prestou depoimento ontem (22) à Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam) do município. Segundo a Polícia Civil, a mulher, de 34 anos, confirmou que foi estuprada por cerca de dez homens na madrugada do último dia 17.

O estupro foi flagrado por uma equipe da Polícia Militar, que fazia uma operação na região naquele momento. Dois adolescentes suspeitos de participar do crime foram detidos na hora. Os demais suspeitos conseguiram fugir.

A Polícia Civil informou que está fazendo diligências para identificar os outros suspeitos de cometer o crime.

Continua após a publicidade

Segundo informações divulgadas na imprensa, a mulher é moradora de uma comunidade carente de São Gonçalo e tem sido vítima de estupros frequentes, cometidos por criminosos que controlam a venda de drogas na região.

O depoimento de ontem foi acompanhado por representantes da Defensoria Pública e da Subsecretaria da Mulher do município. A subsecretaria encaminhará a vítima para atendimento psicossocial e a Defensoria Pública prestará apoio jurídico.

Programa de Proteção

A vítima vai ser incluída no Programa de Proteção a Testemunhas do Governo do Estado. O pedido será feito pela titular da Delegacia Especial de Atendiamento à Mulher em São Gonçalo (Deam-São Gonçalo), Débora Rodrigues, nesta segunda-feira. Segundo ela, a vida da mulher corria risco real caso permanecesse no bairro.

"Alguns dos menores que ela denunciou pelo estupro fazem parte do tráfico de drogas do local. A vítima precisa de toda a proteção que pudermos dar. Um dos menores que a violentou alegou fazer parte do tráfico do Morro dos Macacos, em Vila Isabel. Não podemos deixá-la sem proteção constante", justificou a delegada, afirmando que a mulher já não se encontra mais em São Gonçalo. "Nós a tiramos da cidade por questões de segurança".

Veja Também