Em meio a cobrança dos lojistas, Prefeitura afirma intensificar fiscalização na região da 44

Diante das reclamações, a Seplanh informou em nota ter intensificado a fiscalização na região, resultando num aumento no número de autos de infração e apreensão.

Postado em: 21-10-2021 às 10h56
Por: Ícaro Gonçalves
Diante das reclamações, a Seplanh informou em nota ter intensificado a fiscalização na região, resultando num aumento no número de autos de infração e apreensão | Imagens: Divulgação/ Arquivo pessoal

Lançada no final de setembro pela Prefeitura de Goiânia, a Operação Boas Compras não surtiu o efeito esperado para lojistas e gestores de shoppings na Região da 44, em Goiânia. O projeto deveria, entre outras coisas, coibir a atuação de ambulantes que invadem calçadas e ruas do polo confeccionista, mas tem recebido reclamações por sua pouca efetividade.

“São nos três últimos meses do ano que temos o nosso melhor movimento e chances da região recuperar parte do prejuízo causado pela pandemia. Mas ao invés disso enfrentamos essa competição desleal contra camelôs que obstruem as ruas, atrapalham o trânsito e não pagam impostos”, relata Chrystiano Câmara, presidente da Associação Empresarial da Região da 44 (AER44).

Em vídeo, os lojistas denunciam a atuação dos camelôs:

Continua após a publicidade

Diante das reclamações, a Secretaria Municipal de Planejamento Urbano e Habitação (Seplanh) informou em nota ter intensificado a fiscalização na região, resultando num aumento no número de autos de infração e apreensão. Informou também que a permanência dos ambulantes ocorre “em momentos de troca de plantão dos auditores que prestam serviço na 44”.

Confira na íntegra a nota divulgada pela Seplanh:

“A Secretaria Municipal de Planejamento Urbano e Habitação (Seplanh) informa que tem intensificado o trabalho de fiscalização na região da 44, dentro da Operação Boas Compras, que conta com o apoio da Guarda Civil Metropolitana e da Secretaria Municipal de Mobilidade”.

“Desde o lançamento houve um aumento no quantitativo de auditores fiscais presentes na região visando coibir a presença de vendedores ambulantes, o que resultou num aumento de cerca de 50% nos autos de infração e apreensão na região”.

“A Seplanh destaca que a presença de vendedores ambulantes ocorre em momentos de troca de plantão dos auditores que prestam serviço na 44, mas que tem trabalhado para garantir que os passeios públicos estejam livres para o ir e vir dos pedestres que frequentam a região”, finalizou a nota.

Veja Também