Família que nomeou aeroporto Santa Genoveva se diz contra mudança para homenagear Iris Rezende

Postado em: 24-11-2021 às 18h51
Por: Alice Orth
Proposta de alteração foi aprovada por unanimidade pelo Senado Federal. | Foto: Reprodução

A família de Altamiro de Moura Pacheco, médico e pecuarista que doou o terreno em que foi construído o Aeroporto Santa Genoveva, em Goiânia, divulgou uma nota nesta quarta-feira (24/11) se posicionando contra qualquer alteração do nome do terminal.

A proposta de homenagear o ex-prefeito e ex-governador de Goiânia, Iris Rezende, renomeando o local, foi aprovada por unanimidade pelo Senado Federal nesta terça-feira (23). O projeto é de autoria do senador o senador Luiz do Carmo (MDB), com relatoria de Vanderlan Cardoso (PSD-GO), e segue agora para a Câmara dos Deputados.

De acordo com a família, a área foi doada sob as condições de que seria usada para atividade aeroporturária e que o nome seria um tributo à mãe do médico, Genoveva, exigências que foram aceitas pela prefeitura na época.

“Goiânia, uma cidade jovem, está desprezando sua história e a memória de quem ajudou a construi-la. Nós, goianos, jamais construiremos uma bela história se não preservarmos o legado de quem, em cada época, contribuiu para a construção de nosso estado”, diz o comunicado.

O texto, escrito por Juliana Pacheco, sobrinha do doador, menciona ainda que Iris “tinha imensa gratidão” pela contribuição, e que ele apelou para Pacheco não fracionasse o terreno e vendesse a empreendimentos imobiliários que pretendiam construir no local.

“Temos assistido, com certa frequência, tentativas afobadas de homenagens sempre que há o falecimento de alguém relevante em Goiás. Iris, com certeza, será homenageado em um local em que não precise alterar nenhum nome já existente (…) Não podemos permitir que a memória de nossos antepassados seja desconsiderada pelas novas gerações”, argumenta.

Compartilhe: