ONG de Goiás realiza campanha de conscientização contra a pobreza menstrual

O projeto está realizando uma arrecadação de absorventes, coletores menstruais e itens de higiene íntima para levar os insumos para as comunidades vulneráveis e moradoras de rua de Goiânia e Aparecida de Goiânia.

Postado em: 25-07-2022 às 13h27
Por: Victória Vieira
O #NósPorEla é um movimento feito através de uma parceria com a ONG Girl Up Elza Paxeco, de Goiás | Foto: Reprodução

Desde do início de junho, a campanha #NósPorEla está sendo realizada em Goiás. O projeto está fazendo uma arrecadação de absorventes, coletores menstruais e itens de higiene íntima para levar os insumos às comunidades vulneráveis e moradoras de rua de Goiânia e Aparecida de Goiânia.

O #NósPorEla é um movimento feito através de uma parceria com a ONG Girl Up Elza Paxeco, de Goiás. Essa ação começou pelas Nações Unidas com alcance global e apoiado pela ONU.

Hellora Beatriz, ativista e responsável pela campanha, destaca que a não conscientização sobre pobreza menstrual é um problema constante. Além da ausência de informação e infraestrutura adequada para o manejo, muitas meninas, mulheres, e moradoras de rua, não tem acesso ao banheiro ou água em casa. Com isso, elas acabam utilizando miolo de pão, casca e folhas de árvore no lugar dos recursos higiênicos.

Continua após a publicidade

Em maio do ano passado, a UNICEF divulgou dados da pesquisa “Pobreza Menstrual no Brasil: Desigualdade e Violações de Direitos”. O estudo apontou que 713 mil meninas vivem sem ter acesso a banheiro ou chuveiro em casa. Mais de 4 milhões de meninas não possuem os itens básicos de higiene relacionados a menstruação, como absorventes e sabonetes.

Grupo responsável pelo #NósPorElas | Foto: Reprodução

Diante desse cenário, segundo Hellora, a realização de projetos sociais mostram-se importantes para reunir jovens que queiram impactar suas comunidades, afim de gerar uma mudança na realidade de tantas pessoas que menstruam e não tem acesso a produtos, informações e infraestrutura sobre menstruação.

“A gente é basicamente um movimento que busca treinar, inspirar e conectar meninas e meninos para que eles se tornem líderes e ativistas pela igualdade de gênero e direito das meninas. Eu fundei esse movimento com a minha ONG com o intuito de lutar contra o problema da pobreza menstrual, e reuni um grupo de adolescentes da minha escola para expandir o movimento”, informou a estudante de 16 anos.

“Basicamente estamos tentando conscientizar, impactar e mostrar a pobreza menstrual para quem a gente conhece, então decidimos fazer uma arrecadação de absorventes, coletores menstruais e itens de higiene intima para levar os insumos às comunidades necessitadas”, relatou.

Em Goiás, a arrecadação está sendo feita em 3 pontos principais, são eles: Colégio Araguaia, Shopping Independência em Aparecida de Goiânia e na Faculdade de Direito da UFG, localizada no Campus Universitário. Todos os itens arrecadados, absorventes ou itens de higiene, serão revestidos em kits de higiene.

Veja Também