Capoeira foi enraizada na história e cultura brasileira

Capoeira foi conferida como Patrimônio Imaterial da Humanidade pela Unesco e como Patrimônio Cultural Imaterial pelo IPHAN.

Postado em: 06-08-2022 às 08h11
Por: Maria Paula Borges
Capoeira foi conferida como Patrimônio Imaterial da Humanidade pela Unesco e como Patrimônio Cultural Imaterial pelo IPHAN. | Foto: Reprodução

A capoeira é uma das manifestações mais relevantes da cultura popular brasileira. Combinando dança e luta ritmada, com movimentos acompanhados pelo som do berimbau, cantos e palmas, foi conferida como Patrimônio Imaterial da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), e o Dia do Capoeirista é comemorado no dia 3 de agosto.

A data de comemoração foi escolhida devido a Lei nº 4.649, de 1985, do governo do estado de São Paulo, que instituiu oficialmente o dia para celebrar os capoeiristas. Entretanto, mesmo que comemorado nacionalmente, não existe uma lei que oficialize o dia do capoeirista no Brasil.

Um levantamento do O Globo estima que aproximadamente 6 milhões de pessoas praticam capoeira no Brasil, prática que vem se tornado internacional, ganhando ainda mais espaço nos países europeus e com campeonatos mundiais. 

Continua após a publicidade

Uma criança de 6 anos, que pratica capoeira, afirma que já praticava antes. “Eu gosto porque eu praticava capoeira na escola, só que eu não parei. O que eu mais gosto na capoeira é do Mestre, de tocar, dos meus amigos, de cantar, de brincar, de me divertir e me defender”, diz.

História da capoeira

Um dos elementos da cultura nordestina, a capoeira foi introduzida pelos povos negros escravizados, uma expressão cultural preservada e repassada pelos mestres de capoeira. 

Os escravos que trabalhavam nas fazendas de engenho eram submetidos a condições insalubres, trabalho forçado e agressões. Como uma forma de proteção, começaram a desenvolver golpes e agilidade corporal, desenvolvidas e transformadas na capoeira. 

Portanto, a roda de capoeira é uma das demonstrações da expressão cultural do país, que demonstra luta e resistência envolvendo arte marcial, dança e música. Alguns pesquisadores acreditam que os primeiros locais em que foram concretizadas as rodas tenha sido nas matas rasas do interior brasileiro, dando origem ao nome (junção dos termos “ka’a”, que significa ‘mata’, e “pûer”, que significa ‘que foi’).

A prática, durante muito tempo, foi considerada crime prevista pelo Código Penal, devido à crença das autoridades de que a prática era perigosa. Entre 1890 e 1937 a prática foi proibida em território brasileiro, sujeito a penalidade de 2 a 6 meses de prisão, por exercício de agilidade e destreza corporal. 

Apesar da proibição, atualmente a capoeira é conhecida mundialmente e é uma prática extremamente respeitada. O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) reconheceu a luta ritmada como Patrimônio Cultural Imaterial, em 2008. 

Além disso, o Mestre Bimba, criador da Luta Regional Baiana, mais tarde nomeada capoeira regional, fundou a primeira escola de capoeira do mundo, em 1932, a Academia-Escola de Cultura Regional em Salvador, na Bahia. Nessa escola, pessoas de qualquer classe social foram contempladas com o aprendizado da arte marcial, tornando a prática uma atividade física. 

Veja Também