Governo de Goiás e UFG lançam Plataforma de Correção de Redação

Postado em: 27-08-2020 às 13h30
A plataforma virtual fará a correção automática com base nas competências exigidas pelo Enem - Foto: Divulgação

Igor Afonso

O governo de Goiás juntamente com a Universidade Federal de
Goiás (UFG) lançaram a Plataforma de Correção Automática e de Ensino de
Redação, que corrige redações dos alunos da rede pública estadual de ensino
conforme as competências exigidas pelo Enem.

A plataforma é resultado do trabalho realizado pela
Secretaria de Desenvolvimento e Inovação (Sedi), responsável pelas inovações
tecnológicas no Governo de Goiás, com o Centro de Excelência em Inteligência
Artificial da UFG. Teve contribuição também, a Secretaria de Educação,
responsável pela execução da plataforma, com contribuição no desenvolvimento da
parte pedagógica.

Neste primeiro momento, a nova ferramenta de correção será
testada em duas unidades escolares de Goiânia: o Colégio Estadual Jardim Europa
e o Colégio Estadual Murilo Braga. Após o período de avaliação e adequações, a
equipe da Superintendência de Tecnologia da Seduc deve estender o uso desta
tecnologia para todas as unidades da rede estadual de Educação.

Ao todo, a Plataforma de Correção Automática e de Ensino de
Redação considera cinco critérios na correção das redações: domínio da escrita
formal da língua portuguesa; compreensão do tema; seleção, organização e
interpretação de informações para a defesa de um ponto de vista; uso de
mecanismos linguísticos para a construção da argumentação e respeito aos
direitos humanos.

Funciona da seguinte forma: o estudante escreve o texto na
plataforma, que faz a correção automática com base nas competências exigidas
pelo Enem. A partir das notas atribuídas automaticamente pela plataforma e do
feedback do professor regente, o aluno pode reescrever e reenviar a redação
para uma nova avaliação.

Segundo a equipe da Superintendência de Tecnologia da Seduc,
na plataforma o estudante também terá acesso a um fórum, mediado por
professores e que funcionará como um plantão de dúvidas. A intenção é que, após
a atribuição das notas pela ferramenta, o estudante possa sanar suas dúvidas
sobre a escrita e as possibilidades de melhorias no texto com um professor.

 

Por: Redação
Compartilhe: