Mitos populares que você já acreditou

Relembre os mitos mais populares e que mais enganaram e enganam até hoje as pessoas.

Postado em: 11-11-2022 às 18h23
Por: Maria Gabriela Pimenta
Relembre os mitos mais populares e que mais enganaram e enganam até hoje as pessoas. | Foto: Getty

Durante nossa vida, ouvimos diversas histórias absurdas, mas, de tanto a mensagem ser disseminada, acabamos acreditando sem questionar. Graças à internet e ao aumento da preocupação com a produção das fake news, estes mitos foram desmentidos e explicados. Hoje em dia nós ouvimos falar desses boatos e quase não acreditamos que um dia fomos enganados.

Apesar da facilidade em encontrar informações de qualidade na internet, muitas mentiras ainda são criadas e espalhadas entre grupos e redes sociais. Por isso, é muito importante sempre verificar a fonte da informação para não acreditar em mitos.

Açúcar deixa as crianças hiperativas

Foto: Getty

O senso comum diz que as crianças ficam muito agitadas após o consumo de balas e alimentos doces, açucarados. No entanto, um estado divulgado no site Medical News Today desmente este boato. Em suma, não há relação entre o consumo de açúcar e o humor da criança.

Continua após a publicidade

O motivo das pessoas acreditarem nisso até hoje é que os pais acabam depositando muitas expectativas nesta associação. Um estudo publicado no Journal of Abnormal Child Psychology, em 1994, revelou que o hábito de manter a criança em frente às telas pode perpetuar esta ideia de que o açúcar deixa a criança hiperativa. Além disso, o ambiente tem um papel decisivo no comportamento. Por exemplo, se as crianças estiverem em uma festa infantil, naturalmente, ficarão mais agitadas, independente do consumo de doces.

Chiclete fica no estômago por 7 anos

Foto: Getty

Quem aí nunca ficou com medo de engolir um chiclete por pensar que ele ficaria pregado no estômago? As consequências de engolir uma goma de mascar eram drásticas e deixava todo mundo com medo.

A verdade é que nenhum alimento fica dentro do corpo humano por tanto tempo. O chiclete não pode mesmo ser digerido, mas o que acontece com ele depois de engolido é um processo simples e nada trágico. Ele simplesmente sai do corpo da forma que entrou, passando intacto pelo processo de digestão e, depois, pelas enzimas digestivas.

A Muralha da China pode ser vista do espaço

Foto: Getty

“A Muralha da China pode ser vista do espaço a olho nu”. Esse mito foi corrigido em 2004, quando o primeiro astronauta chinês a ficar em órbita na Terra, Yang Liwei, declarou que não é possível visualizar a Grande Muralha do espaço. A obra poderia ser vista apenas com uso de aparelhos, assim como as pirâmides do Egito e hidrelétrica de Itaipu e outras construções.

Estalar os dedos engrossa as articulações

Foto: Getty

Todo mundo que possui o hábito de estalar os dedos já ouviu dizer que este ato engrossa as articulações dos dedos, podendo até fazer mal à saúde. Mas será que isso procede?

Em meio a tantas teorias, um estudo realizado no Canadá, em 2015, mostrou que estalar os dedos não provoca danos, pois as estruturas sólidas, como os ossos e as cartilagens, não são atingidas. Outra pesquisa, realizada em 2017, testou se o ato compromete a força das mãos, mas também não foi encontrada nenhuma relação.

Usamos apenas 10% do cérebro

Foto: Getty

A ideia de que usamos apenas 10% do nosso cérebro é até interessante, pois nos dá esperanças de que, de alguma forma, podemos ativar esses 90% inutilizados. Mas já pode descartar essa possibilidade, pois é mentira.

Usando a técnica de ressonância magnética funcional, neurocientistas podem identificar as partes do cérebro ativadas quando realizamos alguma ação, como pensar ou movimentar. Uma simples ação, como mexer as mãos ou conversar, requer atividade de muito mais que 10% do cérebro. E mesmo quando estamos parados ou dormindo, nosso cérebro continua trabalhando para controlar as funções vitais. Resumindo, não existe nenhuma porção do cérebro em desuso.

Um raio não cai duas vezes no mesmo lugar

Foto: Getty

“Um raio não cai duas vezes no mesmo lugar”. Essa expressão já se tornou até ditado popular. Mas a verdade é que o raio não se importa em repetir o local. Se o lugar tiver muita incidência de raios, ele pode cair diversas vezes no mesmo lugar. Como acontece com o Cristo Redentor, que é atingido por cerca de 6 raios todo ano.

Os golfinhos são os animais mais inteligentes depois do ser humano

Foto: Getty

Os golfinhos são adoráveis e conseguem realizar muitas atividades, porém, não são os mais inteligentes entre os animais. Testes de inteligência realizados por especialistas concluíram que outros animais ficam na frente do golfinho no quesito inteligência, como cães, orangotangos, ratos e pombos.

Não é bom tomar sorvete com dor de garganta

Foto: Getty

Esta relação é um mito. Não existe nenhuma evidência científica que comprove que o sorvete pode pior a dor de garganta. Algumas pessoas acham que o problema é o leite, que pode aumentar a quantidade de muco na garganta. Na realidade, o soro do leite pode sim trazer algum desconforto no paladar, independente se a pessoa estiver resfriada.

Outro fator é a respeito do alimento gelado. Também não há nenhuma comprovação atestando que a temperatura pode influenciar na infecção de garganta.

O homem tem uma costela a menos que a mulher

Foto: Getty

A não ser que haja alguma anomalia genética ou que uma costela seja retirada, tanto o homem quanto a mulher possuem 12 pares de costelas.

Este mito surgiu a partir da história bíblica sobre a criação de Eva, que teria surgido a partir da costela de Adão. Mas, em nenhum lugar da bíblia está escrito que o homem possui uma costela a menos.

Se alguém urinar na piscina, a água fica colorida

Foto: Getty

Você com certeza já ouviu falar que existe um componente químico que colore a piscina para detectar urina. Isso é mentira! Não existe nada que possa detectar xixi na água. Portanto, se alguém disser que comprou um reagente verde (ou vermelho, ou azul, ou qualquer cor) para identificar urina na piscina, está te enganando.

Einstein foi reprovado em matemática

foto: reprodução

Este mito foi criado com intuito motivacional, afinal, se até Einstein reprovou e se tornou um gênio, também podemos nos superar. Mas a verdade é que o cientista sempre foi um prodígio em matemática, sempre o primeiro da classe e nunca falhou na disciplina. Suas notas em álgebra, física e geometria eram perfeitas.

Veja Também