Pesquisa aponta que câncer de pênis é a causa de 400 mortes por ano no Brasil

O câncer de pênis é um tumor raro, com maior incidência em homens a partir dos 50 anos, embora possa atingir também os mais jovens.

Postado em: 14-11-2021 às 15h13
Por: Victoria Lacerda
O câncer de pênis é um tumor raro, com maior incidência em homens a partir dos 50 anos, embora possa atingir também os mais jovens. | Foto: Reprodução/Internet

Segundo levantamento do hospital A.C.Camargo Câncer Center, a mortalidade por câncer de pênis no Brasil se manteve praticamente inalterada entre 2008 e 2018, alcançando a média anual de 400 óbitos. 

O câncer de pênis é um tumor raro, com maior incidência em homens a partir dos 50 anos, embora possa atingir também os mais jovens. Os dados disponíveis no Datasus, serviço do Ministério da Saúde que disponibiliza informações sobre o sistema público de saúde, foi possível analisar que entre 2008 a 2018 o país teve uma média de 2,9 a 6,8 casos por 100 mil habitantes. Comparando com outros lugares, a incidência nos Estados Unidos é de apenas 0,6 e continente europeu, não ultrapassa 1.

O câncer de pênis tem uma grande prevalência em populações desamparadas, muitas vezes associadas a baixo nível de escolaridade, serviços precários de saneamento básico e pouco acesso a sistema de saúde eficiente.

Continua após a publicidade

Maria Paula Curado, chefe do Grupo de Epidemiologia e Estatística em Câncer do AC Camargo, deu entrevista para a Folha de São Paulo e explicou que há uma desigualdade na ocorrência da doença no Brasil, prejudicando principalmente o Norte e o Nordeste. 

O que aumenta o risco?

  • Baixas condições socioeconômicas e de instrução
  • Má higiene íntima
  • Estreitamento do prepúcio. Homens que não se submeteram à circuncisão (remoção do prepúcio, a pele que reveste a glande – a “cabeça” do pênis) têm maior predisposição ao câncer de pênis
  • Infecção pelo vírus HPV (papilomavírus humano)

Como prevenir? 

Para prevenir o câncer de pênis, é necessário fazer a limpeza diária do órgão com água e sabão, principalmente após as relações sexuais e a masturbação. É fundamental ensinar aos meninos desde cedo os hábitos de higiene íntima, que devem ser praticados todos os dias.

A cirurgia de fimose (quando a pele do prepúcio é estreita ou pouco elástica e impede a exposição da cabeça do pênis, dificultando a limpeza adequada) é outro fator de prevenção. A operação é simples e rápida e não necessita de internação. Também chamada de circuncisão ou postectomia, a cirurgia de fimose é normalmente realizada na infância. Quando a circuncisão é realizada na infância, há redução do risco de desenvolver esse tipo de câncer. Bons hábitos de higiene reduzem o risco tanto em homens que realizaram quanto nos que não realizaram a cirurgia.

A utilização do preservativo é imprescindível em qualquer relação sexual, já que a prática com diferentes parceiros sem o uso de camisinha aumenta o risco de desenvolver a doença. O preservativo diminui a chance de contágio de doenças sexualmente transmissíveis, como o vírus HPV, por exemplo.

Veja Também