A pedido da Justiça, YouTube suspende canal de pastor cego acusado de aplicar golpes em fiéis goianos

Conhecido como "pastor Osório", o homem teria convencido diversas vítimas para efetuarem doações, com a promessa de retornos astronômicos.

Postado em: 22-03-2022 às 10h05
Por: Ícaro Gonçalves
Conhecido como "pastor Osório", o homem teria convencido diversas vítimas para efetuarem doações, com a promessa de retornos astronômicos | Foto: Reprodução

Em cumprimento de um pedido cautelar apresentado pela Promotoria de Justiça de Santana de Parnaíba (SP), a rede social Youtube retirou do ar o canal do pastor evangélico acusado de cometer crimes de estelionato contra fiéis de diferentes estados brasileiros. Conhecido como “pastor Osório”, o homem teria convencido diversas vítimas para efetuarem doações, com a promessa de retornos astronômicos.

Ele já foi denunciado pelo Ministério Público de São Paulo (MPSP) e pelo Ministério Público de Goiás (MPGO) por estelionato. O caso do pastor, com histórias de algumas vítimas, foi apresentado pelo Fantástico no domingo (13/3). Ele prometia aos fiéis que, com um investimento muito pequeno, seria possível ganhar bilhões, trilhões e até “2 quatrilhões de reais”.

Segundo a promotora de Justiça de São Paulo e autora da denúncia, Daniele Maciel da Silva, somente em relação a uma das vítimas o pastor teria provocado prejuízo de R$ 297.500. De acordo com a promotora, o denunciado prometeu rendimentos muito acima dos praticados no mercado financeiro, chegando a usar o nome de um ex-presidente da República já falecido como forma de convencimento.

Continua após a publicidade

De acordo com a denúncia, em São Paulo o homem passou a usar um canal no YouTube para seguir apresentando-se como uma autoridade religiosa ilibada e oferecer ganhos mirabolantes em investimentos inexistentes.

Leia também: Saiba quem é pastor Osório, religioso cego de Goiás acusado de faturar R$ 15 milhões aplicando golpes em fiéis

Farsa

Entre as vítimas do pastor em São Paulo está sua própria sogra. Também pastora evangélica, a mulher que não teve seu nome revelado contou à polícia que vendeu um apartamento no Distrito Federal e transferiu R$ 300 mil direto para a conta de Osório. Em junho do ano passado, ela registrou ocorrência policial em São Paulo e contou aos policiais detalhes de como Osório agia.

Segundo o apurado, a filha da vítima mantinha um relacionamento amoroso com o pastor. Eles tiveram um filho, fruto do relacionamento. Pela proximidade familiar, a pastora conta ter sido convencida a fazer uma aplicação financeira em uma espécie de título financeiro apresentado por ele como “Letra do Tesouro Mundial”, supostamente lastreado em ouro e com valor “bilionário”.

A ex-sogra do pastor afirmou ter transferido os R$ 300 mil para a conta de Osório, para que o valor fosse aportado como investimentos no suposto título bilionário. Ela chegou a receber uma cópia do “termo de acordo e participação financeira e confidencialidade”, mas não teve qualquer garantia sobre como os valores aportados seriam operados.

Veja Também