Em resposta a Lula, membros de clube de tiro exibem armas em Aparecida de Goiânia

Postado em: 21-05-2022 às 07h26
Por: Thauany Melo
“A menos que se instale um regime comunista no Brasil, os clubes de tiro continuarão a funcionar normalmente”, disse proprietário da TZB, Hugo Santos | Foto: Reprodução/Instagram

Membros de um clube de tiro em Aparecida de Goiânia gravaram um vídeo em que mostram armas dentro de caixas em formas de livros. Na filmagem, um deles diz, em tom de deboche, que eles “adoram” o ex-presidente e pré-candidato ao Palácio do Planalto, Luiz Inácio Lula da Silva (PT). O vídeo foi feito em resposta à declaração do principal adversário de Jair Bolsonaro (PL) com a promessa de “substituir clubes de tiro por clubes de livro”. 

A publicação foi feita na página do delegado paulista Paulo Bilynskyj em uma rede social. No vídeo, ele estava nas dependências do clube de tiro TZB, no setor Vila Brasília, em Aparecida de Goiânia. “Oi, Lula! A gente já começou o clube do livro aqui do TZB, em Goiânia. A gente adora você, cara. Olha que livro bonito”, disse o delegado ao apontar para as armas.

Em entrevista ao O Hoje, o dono da TZB, Hugo Santos, afirmou que o vídeo se trata de uma “ironia reflexiva”. “A menos que se instale um regime comunista no Brasil, os clubes de tiro continuarão a funcionar normalmente, independente do resultado das próximas eleições. Que conste que o Sr. Paulo Bilynskyj não é funcionário do Clube, mas é filiado”, ressaltou Hugo Santos.

O proprietário defendeu que os clubes de tiros proporcionam “ diversão e esporte”, além de “gerar empregos”. Ele também ressaltou que Paulo Bilynskyj estava dentro da loja da TZB e que as caixas em formas de livros são cofres vendidos para esconder armas.

Nas redes sociais, o assunto dividiu opiniões. Pelo perfil Jornalismo Wando, o cientista social e jornalista João Filho comentou: “Isso se chama ameaça de morte”. Já o deputado federal Coronel Tadeu (PL) provocou Lula. “Transformar clube de tiro em leitura é fácil, quero ver transformar boca de fumo em biblioteca”, afirmou. Com a mesma opinião, a deputada estadual pela Bahia Talita Oliveira (Republicanos) rebateu o petista: “Mais clubes de tiro e menos Lula. Mais proteção à família e menos PT. Esse é o recado!”.

A pesquisadora baiana Michele Prado questionou as autoridades sobre as investigações acerca do ”extremismo da direita”. “Perguntem se a PF já publicou algum relatório de monitoramento do extremismo de direita nas forças militares? Nunca. Nem informam se estão monitorando grupos bolsonaristas, os clubes de tiro, os indivíduos que adquiriram armas nos últimos 2 anos. Não temos nenhuma informação”, publicou.

Desde 13 de abril, a Polícia Civil de São Paulo apura supostas ameaças de morte contra Lula feitas por meio do site do Partido dos Trabalhadores. O inquérito foi autorizado pelo delegado da Delegacia de Crimes Eletrônicos do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), Laércio Ceneviva Filho.

Histórico

Paulo Bilynskyj é instrutor de tiros, delegado da Polícia Civil de São Paulo e professor da Estratégia Concursos.

Em 2020, ele se envolveu em uma briga no prédio onde Lula reside, o Hill House, em São Bernardo do Campo, em São Paulo. Na ocasião, a namorada dele, a modelo Priscila Delgado de Barros, de 27 anos, foi encontrada morta com marcas de tiros. A versão sustentada é de que ela  teria atirado em Paulo seis vezes e depois se matado com um disparo no peito.

Ele passou por cirurgia e se recuperou após um período internado. O casal costumava ostentar armas de fogo. O caso segue em investigação.

Compartilhe: