Diesel acumula alta no ano e combustível é vendido a R$ 6,89 em Goiânia

Segundo petroleiros, preço do combustível pode chegar a R$ 10 no segundo semestre.

Postado em: 04-06-2022 às 11h33
Por: Luan Monteiro
Segundo petroleiros, preço do combustível pode chegar a R$ 10 no segundo semestre. | Foto: Reprodução

Apesar do preço do diesel apresentar segunda queda semanal, o valor do combustível continua alto. Desde o início do ano, os motoristas viram o preço crescer 28,7%, é o que aponta a Agência Nacional de Petróleo (ANP). Em Goiânia, postos de combustível estão vendendo o diesel a R$ 6,89 por litro neste sábado (4/6).

Segundo o levantamento de preços da ANP, o preço médio nacional do litro do diesel caiu de R$ 6,91 para R$ 6,88 nas últimas semanas, apresentando um recuo de 0,52%. Na máxima, o preço do diesel é encontrado a R$ 8,30.

A gasolina, por sua vez, está em queda há três semanas consecutivas, porém, tem alta de 8,21% desde o início do ano. Na última semana, o preço médio do litro nos postos do Brasil ficou em R$ 7,21, uma queda de 0,46% em relação à semana anterior.

Continua após a publicidade

Diesel a R$ 10

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) afirmou, em nota, que há risco do diesel chegar a R$ 10 por litro no segundo semestre do ano. Segundo especialistas, um novo aumento de preços comerciais poderá trazer consequências mais severas sobre a inflação e às vésperas da colheita da safra agrícola, quando aumenta a demanda pelo combustível.

“Análises feitas pela área econômica da FUP indicam que estão dadas as condições para nova escalada de preços dos combustíveis: com estoques globais em níveis historicamente baixos, resultando na valorização das cotações de referência e dos prêmios de exportação. A gasolina e o diesel estão cerca de US$ 60 por barril acima do preço do petróleo”, diz a nota emitida pela Federação.

Estoque

Na última sexta-feira (3), o presidente Jair Bolsonaro (PL), afirmou que o estoque de diesel no país pode acabar em até 40 dias. Bolsonaro disse, também, que para evitar o desabastecimento do combustível, uma equipe do governo federal está em missão no Oriente Médio em tratativas para ampliar as importações do produto.

“Tem uma equipe minha que completa 15 dias na região do golfo Pérsico. Vão chegar com notícias fantásticas”, comentou.

Esse não é o primeiro alerta sobre o desabastecimento do produto. Em maio, a Petrobras alertou o governo sobre a possibilidade de o Brasil ficar sem diesel, em ofício enviado ao Ministério de Minas e Energia. De acordo com o documento, há “elevado risco de desabastecimento de diesel no mercado brasileiro no segundo semestre de 2022”.

Veja Também