Vacinas contra Covid-19 poderão ser vendidas nas unidades particulares de saúde

Postado em: 17-06-2022 às 18h00
Por: Victória Vieira
O motivo está atrelado a medida do fim de estado de emergência na saúde pública de importância nacional (Espin), em decorrência da pandemia no Brasil | Foto: Reprodução

O presidente da república Jair Bolsonaro (PL) decretou uma medida provisória nesta sexta-feira (17/6). A decisão é a permissão das unidades particulares de saúde comprarem vacinas contra a Covid-19 diretamente dos fabricantes. 

O motivo é sobre a medida do fim de estado de emergência na saúde pública de importância nacional (Espin), em decorrência da pandemia no Brasil. Segundo a Secretaria-Geral da Presidência, a medida não trará impactos no Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação. 

Ao explicar a decisão, o órgão diz que a vacinação conseguiu completar 100% o ciclo de imunização no país e atingiu doses suficientes aplicadas em grupos prioritários.

“O que se vivenciava em 2021 – ante a escassez de vacinas no Brasil e no mundo, a iniciativa privada não estava autorizada a adquirir vacinas contra a covid-19, em detrimento do Poder Público – se modificou, e a escassez de vacinas restou superada, tendo o Estado sido capaz de ofertar vacinas à população em geral, em quantidade suficiente, conforme dados demonstrados pelo Ministério da Saúde”, explicou a Secretaria.

Vale ressaltar que o Ministério da Saúde possui contrato com a Pfizer para compra de 100 milhões de vacinas e está na possibilidade de compra adicionais de 50 milhões. 

Com informações da Agência Brasil.

Compartilhe: