Ataque na região de Kiev mata jornalista e cinegrafista da Fox News na Ucrânia

Oleksandra “Sasha” Kuvshynova e Pierre Zakrzewski faleceram após serem atingidos. Correspondente da emissora, Benjamin Hall precisou ser internado

Postado em: 15-03-2022 às 18h01
Por: Augusto Diniz
Oleksandra “Sasha” Kuvshynova e Pierre Zakrzewski faleceram após serem atingidos. Correspondente da emissora, Benjamin Hall precisou ser internado | Foto: Reprodução/Twitter

Três profissionais do canal de notícias norte-americano Fox News foram atingidos em um ataque na capital da Ucrânia, Kiev. Pierre Zakrzewski e Oleksandra “Sasha” Kuvshkynova morreram após serem feridos. O correspondente da emissora, Bejamin Hall, precisou ser internado.

Dois dias antes, no domingo (14/3), um jornalista que estava na região de Kiev morreu após ser atingido por um tiro. A Fox News informou nesta terça-feira (15/3) que os três profissionais da emissora estavam em um carro na cidade de Horenka, próximo à capital da Ucrânia, quando sofreram o ataque. Não foi divulgado o estado de saúde do jornalista que está internado.

Pierre Zakrzewski se mudou de Londres, na Inglaterra, para a Ucrânia em fevereiro. A diretora executiva da Fox News, Suzanne Scott, disse que Zakrzewski era um veterano da emissora. “Cobriu quase todas as histórias, do Iraque ao Afeganistão e à Síria”, lembrou Suzanne. Em comunicado emitido pela Fox News, Pierre Zakrzewski foi descrito por “sua paixão e talento como jornalista”, que, segundo o canal, “eram incomparáveis”.

Continua após a publicidade

“Ele era profundamente comprometido em contar as histórias e sua bravura, profissionalismo e ética de trabalho eram reconhecidos entre os jornalistas de todos os meios de comunicação”, destacou a emissora no comunicado.

Ucraniana na Fox News

De origem ucraniana, Oleksandra “Sasha” Kuvshkynova tinha 24 anos e trabalhava como consultora com a equipe da Fox News no país. A diretora executiva da emissora afirmou que Kuvshkynova ajudava as equipes a “navegar pela cidade, reunir notícias e conversar com fontes”.

“Trabalhando 24 horas por dia, ela ajudou a compartilhar a história da Ucrânia com o mundo e somos gratos a ela por isso. Nossos correspondentes e nossos produtores dizem que ela era trabalhadora, engraçada, gentil e corajosa, o que você tem que ser para fazer esse tipo de trabalho”, concluiu Suzanne.

Veja Também