Brasil ficou de fora: Reino Unido cria visto para formados nas melhores universidades do mundo; veja lista

Nesta segunda-feira (30/5), entra em vigor no Reino Unido o visto especial para graduados nas 37 melhores universidades do mundo. O governo argumenta que com o visto, o país irá atrair as "melhores e mais brilhantes" mentes do mundo no começo de suas carreiras.

Postado em: 30-05-2022 às 19h22
Por: Ana Bárbara Quêtto
Os formandos podem se inscrever independentemente de suas nacionalidades, contanto que tenham se formado até cinco anos atrás. | Foto: Reprodução.

Nesta segunda-feira (30/5), entra em vigor no Reino Unido o visto de “high potential individual” (“indivíduo de alto potencial”, em tradução livre) para graduados nas 37 melhores universidades do mundo. O governo argumenta que, com o visto, o país irá atrair as “melhores e mais brilhantes” mentes do mundo no começo de suas carreiras.

Os formandos podem se inscrever independentemente de suas nacionalidades, contanto que tenham se formado até cinco anos atrás. Os ex-alunos aprovados receberão um visto de trabalho com a duração de dois anos, se forem bacharéis ou mestres, e de três anos, se forem doutores. Posteriormente o visto poderá ser trocado por vistos de longo prazo, se atenderem a certos requisitos.

O cartão custará 715 libras (cerca de R$ 4,2 mil), mais a taxa de saúde de imigração, para que os alunos possam utilizar o sistema público de saúde do Reino Unido. Os ex-alunos poderão levar suas famílias, apesar de precisarem apresentar recursos de manutenção de pelo menos 1.270 (mais de R$ 7,5 mil).

Continua após a publicidade

Para se qualificar, a pessoa precisa ter frequentado uma universidade que apareceu no top 50 em pelo menos dois de três rankings no ano em que o candidato se formou, como o Times Higher Education World University Rankings e o Quacquarelli Symonds World University Rankings. Nenhuma universidade brasileira apareceu na lista feita pelo governo.

Além disso, também será preciso ter um certificado de até pelo menos o nível intermediário B1, na língua inglesa, e passar por uma verificação de segurança e criminalidade. Embora o novo visto busque levar “mentes brilhantes” ao Reino Unido, o agrupamento político tem sido criticado por outras medidas, como por exemplo, o projeto de levar refugiados, que cruzaram o Canal da Mancha em pequenos barcos, à Ruanda.

Veja a lista de universidades:

Alemanha:

University of Munich (LMU Munich)

Austrália:

University of Melbourne

Canadá:

McGill University

University of British Columbia

University of Toronto

China:

Peking University

Tsinghua University

EUA:

California Institute of Technology (Caltech)

Columbia University

Cornell University

Duke University

Harvard University

Johns Hopkins University

Massachusetts Institute of Technology (MIT)

New York University (NYU)

Northwestern University

Princeton University

Stanford University

University of California, Berkeley

University of California, Los Angeles (UCLA)

University of California, San Diego

University of Chicago US

University of Michigan-Ann Arbor

University of Pennsylvania

University of Texas at Austin

University of Washington

Yale University

França:

Paris Sciences et Lettres – PSL Research University

Hong Kong:

Chinese University of Hong Kong (CUHK)

University of Hong Kong

Japão:

Kyoto University

University of Tokyo

Singapura:

Nanyang Technological University (NTU)

National University of Singapore

Suécia:

Karolinska Institute

Suíça:

Ecole Polytechnique Fédérale de Lausanne (EPFL Switzerland)

ETH Zurich (Swiss Federal Institute of Technology)

Veja Também