Pré-candidatura de Wolmir Amado gera conflitos entre PT, PV e PCdoB

Presidente do diretório goiano do PV, Cristiano Cunha reclama da insistência dos petistas em emplacar o nome do ex-reitor da PUC sem diálogo

Postado em: 25-05-2022 às 08h37
Por: Thauany Melo
Presidente do diretório goiano do PV, Cristiano Cunha reclama da insistência dos petistas em emplacar o nome do ex-reitor da PUC sem diálogo | Foto: Reprodução

Com a chamada Federação Brasil da Esperança, os partidos PT, PV e PCdoB se organizam para disputar as eleições de 2022 com uma frente ampla. Em Goiás, no entanto, o presidente do diretório goiano do PV, Cristiano Cunha, reclama da insistência dos petistas em emplacar o nome de Wolmir Amado, ex-reitor da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-GO), como candidato ao Palácio das Esmeraldas. Segundo ele, não houve alinhamento para divulgação do nome.

Sem unanimidade, as lideranças das siglas seguem com posturas independentes. Enquanto o PV declara apoio ao atual governador de Goiás, Ronaldo Caiado (UB), o PCdoB tem declarado apoio a José Eliton (PSB). “É natural o PT lançar candidato, mas lançaram sem consultar a federação. Eles apresentaram o nome e ainda não foi definido o candidato da federação. Ainda estamos em conversas para definição de um nome em comum, caso seja a orientação da nacional, ou se manteremos o apoio ao governador”, afirmou o pevista.

De acordo com Cristiano Cunha, a legenda está “aguardando uma definição quanto à federação nacional e, depois, a definição se os estados ficarão livres ou se terão de seguir a definição da nacional”. Segundo ele, a decisão deve ocorrer na próxima semana.

Continua após a publicidade

Para o presidente do PCdoB, Honório Rocha, é necessário ampliar as alianças para da federação. “Nós estamos procurando construir posicionamentos unitários, convergentes. Sempre na busca de um consenso em torno daquilo que é melhor para o projeto”, disse.“Nós temos uma opinião de que devemos ampliar ao máximo as alianças. Nós conquistamos isso com a vinda do PSB. Eles ofereceram o nome do José Eliton, nós achamos que isso é um fato político importante e relevante, porque consegue conduzir a nossa força para um campo da sociedade que PT, PV e PCdoB não conseguem. Então, a nossa ideia é caminhar para uma frente mais ampla”, completou.

“Nós estamos procurando construir posicionamentos unitários, convergentes. Sempre na busca de um consenso em torno daquilo que é melhor para o projeto”

Wolmir Amado tem afirmado que a discussão de uma frente ampla não anula a futura efetivação de sua candidatura. Para os filiados ao PT, não se pode abrir mão da candidatura própria a governador. Desde 1982, apenas em 2016 a legenda abriu mão da cabeça de chapa para o Executivo estadual.

O presidenciável Lula (PT) e o ex-governador Geraldo Alckmin (PSB) sinalizaram ser favoráveis a José Eliton, no entanto, o posicionamento  não deve influenciar o PT goiano na hora de definir o nome. 

Federação Partidária

A federação partidária consiste na união de dois ou mais partidos. Com a convergência, a federação atua como um único partido, tanto antes como depois da eleição. A possibilidade foi inserida na legislação eleitoral em 2021. Com isso, as legendas podem, pela primeira vez, se unir para apresentar candidatos.

A federação se difere das coligações partidárias, que consistem em alianças que partidos fazem de natureza apenas eleitoral e temporária. O objetivo é unir partidos com afinidade ideológica e, desta forma, facilitar para o eleitor acompanhar o seu voto. Além disso, as federações ajudam os partidos menores, ou com menos força de expressão no Congresso, a alcançarem a cláusula de barreira, regra legal que limita a atuação de legendas que não obtêm determinada porcentagem de votos no país.

A Brasil da Esperança foi a primeira a solicitar o registro, que pode ser realizado até 31 de maio. Segundo documentos apresentados ao TSE, a Brasil esperança tem  o compromisso de superar o “Estado neoliberal”.

Veja Também