Delegados da PF apresentam queixa-crime contra Moraes por abuso de autoridade

O documento foi apresentado ao Ministério Público Federal (MPF) e também atinge o delegado da Diretoria de Inteligência da PF, Fábio Alvarez Shor.

Postado em: 26-09-2022 às 14h16
Por: Luan Monteiro
O documento foi apresentado ao Ministério Público Federal (MPF) e também atinge o delegado da Diretoria de Inteligência da PF, Fábio Alvarez Shor. | Foto: Reprodução

Um grupo de 131 delegados da Polícia Federal (PF) apresentou uma queixa-crime contra o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, por abuso de autoridade. O documento foi apresentado ao Ministério Público Federal (MPF) e também atinge o delegado da Diretoria de Inteligência da PF, Fábio Alvarez Shor.

Os delegados afirmam que há indícios de abuso de autoridade na operação contra empresários bolsonaristas que são acusados de defender uma ruptura institucional caso o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) seja eleito. As conversas de teor golpistas teriam ocorrido em um grupo de WhatsApp e foram reveladas pelo portal Metrópoles.

De acordo com informações dos colunistas Mirelle Pinheiro e Carlos Carone, do Metrópoles, o texto sustenta que os argumentos utilizados pelo ministro para deflagrar a ação são “inacreditáveis”.

Continua após a publicidade

O documento enfatiza que, para que haja atentado contra o Estado Democrático de Direito, deve se pressupor “violência ou grave ameaça (grifos), como prevê o artigo 359-M do Código Penal. Ora, inexistiu a violência! Quanto à grave ameaça, essa não saiu do campo da cogitação. Portanto, inexistente”.

Por fim, o texto pontua que há “nítido caráter político-partidário” e falta de imparcialidade nas decisões recentes do magistrado. Assim, é solicitado que a PGR “adote as providências cabíveis” e que a investigação contra os empresários seja anulada.

Veja Também