Segurança na internet: como proteger seus dados pessoais não sejam usados por criminosos

Com os diversos ataques, é importante o consumidor ficar atento e sempre reforçar as medidas de segurança

Postado em: 27-02-2022 às 17h04
Por: Iara Godoi
Com os diversos ataques, é importante o consumidor ficar atento e sempre reforçar as medidas de segurança | Foto: Reprodução

Durante a última semana, o site e aplicativos de compra do grupo Americanas foi atacado por hackers, o que levantou mais uma vez a preocupação com relação a segurança na internet. 

De acordo com informações de um levantamento feito pela consultoria Accenture apontou que, em 4.700 empresas de vários países, foram registrados que cada empresa teve seu site atacado em média 270 vezes durante o ano de 2021. Em cerca de 11% das vezes, os ataques foram bem-sucedidos, deixando a empresa e clientes prejudicados.

Com os diversos ataques, é importante o consumidor ficar atento e sempre reforçar as medidas de segurança para que seus dados pessoais não sejam usados de forma indevida por terceiros na internet. 

Continua após a publicidade

Entre as formas de se proteger, uma das mais simples é sempre ter diversas senhas ao invés de apenas uma. “O ideal é que o usuário tenha uma senha em cada uma das plataformas em que tem conta. Mas as pessoas acham que assim vão ter que memorizar muitas delas. Então, sugerimos usar um gerenciador de senhas. O papel desse tipo de site é criar uma senha grande e randômica e, em alguns casos, memorizá-la. Se a pessoa usa a mesma senha em todos os lugares, o ideal, depois que uma plataforma reporta um ataque ou um vazamento, é trocar a senha e passar a usar uma exclusiva e não repetida.” Afirma Fabio Assolini, analista sênior de segurança da Kaspersky, em entrevista para o portal de notícias Extra.

Também é importante evitar o cadastro de cartões físicos de crédito nas plataformas, preferindo sempre a opção de cartão virtual disponível nos aplicativos de instituições financeiras que funcionam como um cartão normal, porém têm a numeração alterada a cada transação. 

“A orientação é sempre a mesma: trocar com frequência suas senhas, utilizar combinações fortes e não usar a mesma senha em vários sites, por causa dos constantes vazamentos de dados. Hoje, há milhares de senhas disponíveis na deep web (internet oculta do grande público, onde não há regulamentação). Então, modificar a senha deve se tornar um hábito.” Comenta Emilio Simoni, em entrevista para o Extra.

Veja Também