Apesar da alta adesão, total de eleitores adolescentes caiu 53% desde 2013 no Brasil

Postado em: 03-05-2022 às 17h49
Por: Rodrigo Melo
Em 2018, pleito no qual o presidente Jair Bolsonaro (PL) foi eleito, a quantidade de Títulos Eleitorais aptos para esta faixa etária era 30,7% maior, quando registrou naquele ano 1,8 milhão | Foto: Reprodução

O dia 4 de maio é o último prazo para regularizar o Título de Eleitor. Mesmo após o Tribunal Superior Eleitoral registrar número recorde no alistamento de jovens eleitores (15 a 18 anos), o número jovem aptos a votar de 16 a 17 anos teve queda de 53% desde 2013 no Brasil. É o que aponta um os dados da Estatística do Eleitorado do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O ano de 2013 foi protagonizado pelas jornadas de junho, série de manifestações protagonizada por jovens e com ampla pauta de reivindicações, incluindo o congelamento das tarifas do transporte público. Se comparado o mês março de 2013 e março deste ano, o total de eleitores aptos de 16 e 17 anos no país caiu de 2,2 milhões (2.242.649) para R$ 1 milhão (1.051.184), de acordo com os dados mais atualizado disponível.

Em 2018, pleito no qual o presidente Jair Bolsonaro (PL) foi eleito, a quantidade de Títulos Eleitorais aptos para esta faixa etária era 30,7% maior, quando registrou naquele ano 1,8 milhão.

Recorde em três meses

Após identificar o menor nível de participação de adolescentes no processo eleitoral das últimas três décadas, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) começa a registrar um aumento no número de jovens interessados em votar no pleito deste ano.

Segundo dados da Justiça Eleitoral, o número de alistamentos eleitorais realizados nos três primeiros meses de 2022 cresceu em relação às duas últimas eleições gerais no país. De janeiro e março, o Brasil ganhou 1.144.481 novos eleitores na faixa etária de 15 a 18 anos. Já nos pleitos de 2018 e 2014, foram emitidos 877.082 e 854.838 novos títulos, respectivamente.

Campanha

As novas emissões ocorrem em meio a uma campanha de mobilização promovida  pela  Justiça Eleitoral nas redes sociais. Celebridades como Anitta, Zeca Pagodinho, Whindersson Nunes, Juliette e também internacionais, como o ator norte-americano Mark Ruffalo, participaram do chamamento.

De acordo com as estatísticas oficias, até janeiro deste ano, o TSE registrava, no total, pouco mais de 730 mil títulos emitidos para jovens de 16 a 17 anos de idade. Para os adolescentes de 16 e 17 anos, o voto é facultativo.

Em dezembro de 2021, 630 mil adolescentes nessa faixa tinham o título. Em março, o número aumentou para 1,051 milhão – crescimento de 58,7%. O esforço, porém, ainda precisa ser maior.

Prazo

Os jovens têm até 4 de maio emitir a primeira via do Título de Eleitor. O TSE cadastro para emissão do título de eleitor. Ele pode ser feito em casa, por meio da internet, no Portal do TSE. O interessado deve acessar o Autoatendimento do Eleitor, clicar em “Atendimento ao Eleitor”, selecionar “Tirar o 1º Título Eleitoral” e seguir as instruções da página.

  • No site, serão solicitados dados pessoais e a digitalização dos seguintes documentos:
  • Identidade com foto;
  • Comprovante de residência;
  • Comprovante de pagamento de débitos eleitorais;
  • Comprovante de quitação de serviço militar (somente para homens);
  • Selfie com o documento oficial de identificação ao lado de seu rosto, e sem o uso de óculos, gorros, bonés, entre outros objetos.
Compartilhe: