23 de outubro de 2018 - terça-feira

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Cidades
Homofobia
21/09/2018 | 14h25
Homossexual é agredido em porta de boate em Goiânia
O jovem disse ainda que várias pessoas estavam do lado de fora do local e ninguém prestou ajuda

Jovem relata agressão em porta de boate em Goiânia (Foto: Reprodução pessoal)

Kamilla Lemes e Eduardo Marques

Um jovem foi vítima de agressão em uma boate de Goiânia na madrugada do último dia 16. Em um perfil na rede social, Eney Paiva publicou foto onde aparece com o rosto machucado e relata ter sido violentado pelos seguranças da casa. A vítima registrou boletim de ocorrência e irá abrir um processo contra a boate, localizada no Setor Sul, onde alega que foi alvo de descaso. 

Inicialmente, a confusão começou com um cliente no andar de cima e em seguida, funcionários começaram agredir Eney. “Era uma boate gay. Subi até o banheiro no andar de cima. Um rapaz ‘cismou’ que eu estava o encarando.  Começamos a discutir e ele, achando por eu ser gay iria ficar calado. Batemos boca e ele saiu. Logo em seguida o segurança veio e disse que não era permitido brigas e pediu para que eu me retirasse. Mas eu não saí e disse que havia sido vítima de preconceito”, contou.

Jovem registrou Boletim de Ocorrência relatando o ocorrido (Foto: Reprodução)

Conforme Eney relatou, puxado pelo braço, o segurança insistiu que ele se retirasse do local. Outro funcionário da boate chegou para ver o que estava acontecendo, quando começaram as agressões físicas. “Ele disse que eu sairia por bem ou por mal e me enforcou. O outro me deu murros na barriga. No fim da escada eu desmaiei. Quando acordei, já estava fora da boate e meu rosto estava inchado”.

O jovem disse ainda que várias pessoas estavam ao lado de fora do local e ninguém prestou ajuda. 

A casa de show afirmou que acionou a polícia, registrou Boletim de Ocorrência (BO) por ele ter agredido uma funcionária, porém o rapaz fugiu. 

Tópicos:  Homossexual,   Agressão,   Boate

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)