Cidades

Após 8 dias, Carrefour fecha as portas em luto por morte de homem

Postado em: 26-11-2020 às 12h20
Segundo polícia, João Alberto morreu asfixiado por seguranças do hipermercado, no último dia 19, em Porto Alegre (RS) | Foto: reprodução

Nielton Soares

O Carrefour decidiu fechar as portas de todas as lojas no Brasil em luta pela morte de João Alberto Freitas, de 40 anos, ocorrida no último dia 19. O fechamento aconteceu na manhã desta quinta-feira (26), até as 14 horas.

Segundo a administração, após a abertura, haverá 1 minuto de silêncio em memória à vítima. Já a unidade do hipermercado, localizada no bairro Passos D’areia em Porto Alegre, onde aconteceu o crime, ficará fechada durante todo o dia.

Ainda, de acordo com o comunicado do hipermercado, todo o dinheiro das vendas realizadas nesta 5ª feira e 6ª feira (27) será revertido para ações orientadas pelo Comitê Externo de Livre Expressão sobre Diversidade e Inclusão – criado após o episódio.

Comitê antirracismo 

Os recursos irão somar aos R$ 25 milhões já anunciados pelo grupo e ao lucro das vendas de 6ª feira (20), Dia Nacional da Consciência Negra. Segundo o Carrefour, o programa visa assessorar, de forma livre e independente, todas as unidades da rede de supermercados no Brasil em ações contra o racismo.

“Este comitê foi formado a partir dos diálogos decorrentes da tragédia de Porto Alegre e é absolutamente independente, não tem qualquer vínculo de subordinação ao Carrefour Brasil”, citou a nota do grupo.

O comunicado acrescenta também que: “Sua maior motivação é o dever moral de tentar impedir que mais pessoas negras morram, com o objetivo de orientar e embasar um amplo plano de ação de combate ao racismo estrutural no varejo e em toda sociedade”.

 

Seja o primeiro a comentar

Fazer comentário

Acesse sua conta para comentar, é rápido e gratuito.

Inscreva-se na newsletter e receba

conteúdo exclusivo

Digite aqui o que deseja pesquisar