21 de julho de 2018 - sábado

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Concursos
Segurança Pública
13/06/2018 | 17h50
Ministro anuncia concurso público para Polícia Federal
Edital prevê cerca de 500 vagas, com delegados, peritos criminais e agentes

As vagas serão distribuídas entre delegados (150), peritos criminais (60), agentes , escrivães e papiloscopistas (Foto: Reprodução)

Guilherme Melo

O atual ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, informou que vai assinar nesta quarta-feira (13) o edital para um concurso para 500 vagas na Polícia Federal. Após participar de um seminário sobre segurança pública, Jungmann conversou com jornalistas e apresentou a novidade em entrevista coletiva. "Hoje estarei assinando edital que vai abrir o concurso", informou.

Segundo Jungmann, as vagas serão distribuídas entre: delegados (150), peritos criminais (60), agentes (180), escrivães (80) e papiloscopistas (30). Desde fevereiro, o ministro já havia anunciado que o governo estava preparando um concurso para aumentar o quadro da Polícia Federal. Na época, ele tinha apresentado a recém criada pasta da Segurança Pública. O novo concurso faz parte de um projeto do Ministério para fortalecer o combate ao crime no Brasil.

Em entrevista, Jungmann informou que amanhã deve ser votada, na Câmara dos Deputados, uma medida provisória que criou o Ministério Extraordinário da Segurança Pública, assinada pelo governo em fevereiro. De acordo com o ministro, deve ser retirado o termo "extraordinário" do nome da pasta, que se tornará definitiva.

“Ainda hoje deve ser votada na Câmara Federal a medida provisória que torna o Ministério Extraordinário de Segurança Pública lei, ou seja, institucionaliza o Ministério da Segurança Pública pela primeira vez na história das Constituições brasileiras”, afirma o ministro. "Por sugestão do relator, acatada pelo governo, o Ministério terá retirado o nome 'extraordinário', passando a ser portanto um Ministério permanente, regular, que integrará como os demais ministérios a estrutura do governo federal”, completou.

O ministro acredita que o próximo presidente da República deve manter a pasta. "Quem for o futuro presidente do Brasil, não vai passar uma borracha nesse Ministério, porque ele é uma exigência que brasileiros e brasileiras fazem em termos de segurança pública", comentou.  Segundo Jungmann, o Ministério Público vai autorizar também a criação do Instituto Nacional de Estatísticas e Estudos em Segurança Pública e da Escola Nacional de Segurança Pública e Inteligência. 

Tópicos:

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)