24 de setembro de 2017 - domingo

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Política
Lava Jato
18/05/2017 | 17h50
Aécio deixa comando do PSDB depois de ter nome envolvido em delação premiada
Para o lugar, Aécio indicou o senador Tasso Jereissati, do Ceará. Segundo ele, agora "vai se dedicar à sua defesa judicial"

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) anunciou no final da tarde desta quarta-feira (18) que vai se licenciar da presidência nacional do PSDB após as divulgações de trechos das delações premiadas do empresário Joesley Batista, com gravações em que pede dois milhões de reais ao sócio do grupo JBS. Para o lugar, Aécio indicou o senador Tasso Jereissati, do Ceará.

Ele alegou que deixa o comando da legenda, segundo nota oficial, para se dedicar à sua defesa judicial. “Em razão das ações promovidas no dia de hoje contra mim e minha família, quero afirmar que, a partir de agora, minha única prioridade será preparar minha defesa e provar o absurdo dessas acusações e o equívoco dessas medidas”, escreveu Aécio.

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) acaba de anunciar que vai se licenciar da presidência nacional do PSDB após as divulgações de trechos das delações premiadas do empresário Joesley Batista, com gravações em que pede dois milhões de reais ao sócio do grupo JBS. Para o lugar, Aécio indicou o senador Tasso Jereissati, do Ceará.

Ele alegou que deixa o comando da legenda, segundo nota oficial, para se dedicar à sua defesa judicial. “Em razão das ações promovidas no dia de hoje contra mim e minha família, quero afirmar que, a partir de agora, minha única prioridade será preparar minha defesa e provar o absurdo dessas acusações e o equívoco dessas medidas”, escreveu Aécio. 

Tópicos:

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)