Estudantes ocupam unidades da UFG

Na manhã de ontem, estudantes da Universidade Federal de Goiás e do Centro de Ensino e Pesquisa Aplicada à Educação (Cepae), também

Postado em: 26-10-2016 às 06h00
Por: Sheyla Sousa

Na manhã de ontem, estudantes da Universidade Federal de Goiás e do Centro de Ensino e Pesquisa Aplicada à Educação (Cepae), também da UFG, ocuparam unidades da instituição contra a PEC 241, proposta que modifica a Constituição e prevê congelamento anual dos gastos públicos para os poderes Legislativo, Executivo e Judiciário nos próximos 20 anos, apenas reajustado com a inflação do ano anterior. 
Além disso, os secundaristas do Cepae também focam na luta contra a reforma do Ensino Médio. Eles realizaram uma assembleia ontem e decidiram ocupar o Centro após o início das aulas. De acordo com a coordenadora geral do Sindicato dos Trabalhadores Técnicos Administrativos em Educação de Goiás (SINT-IFESgo), Fátima dos Reis, estudantes e técnicos seguiram juntos para a ocupação e ficarão no local até que a PEC seja votada ou segundo novas deliberações. 
“O nosso objetivo, a partir dessas ações, é chamar a atenção dos nossos governantes, dos nossos parlamentares, para que percebam o quanto essa PEC da Morte será prejudicial ao nosso país, principalmente na área da saúde e educação”, afirma Fátima. Sobre a greve dos técnicos administrativos, a coordenadora informou que, devido ao feriado, a greve foi oficialmente deflagrada na manhã de ontem. 
De acordo com a programação dos grevistas, hoje será realizado um ato com panfletagem em frente ao Instituto Federal Goiano. Além dessas instituições, técnicos do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás (IFG) seguem em greve, com campus também ocupados pelos estudantes. A greve já atinge 26 instituições federais no Brasil. 

Reitoria
A Reitoria da UFG também foi ocupada na manhã de ontem. De acordo com um aluno que preferiu não ser identificado, vinculado ao Diretório Central dos Estudantes, uma reunião foi realizada para planejar o ato que se estendeu pelo Restaurante Universitário; após esse movimento, foi deliberada a ocupação da Reitoria. Cerca de 150 estudantes e 15 técnicos administrativos participaram do ato. O número de pessoas na ocupação é grande. 
A Faculdade de Artes Visuais e o Centro Editorial e Gráfico da UFG também foram ocupados pelos estudantes e técnicos, respectivamente. O campus da Cidade de Goiás também segue ocupado. “Acredito que as mobilizações em todo o país são importantes para que o governo reveja suas prioridades e perceba que os estudantes estão interessados no futuro da educação”, afirma o aluno. 
Segundo Daniel Anselmo, técnico que ocupa o Cegraf com outros 15 trabalhadores, além da PEC, a categoria também luta para que os acordos feitos ainda em 2015 com o governo e a Fasubra sejam cumpridos, como a distribuição das verbas para os hospitais universitários.

Veja Também