10º dia: vela, carta e roupa com sangue: os rastros de Lázaro na mata

Postado em: 18-06-2021 às 10h23
Por: Nielton Soares
Foragido deixa pistas ou quer distrair a polícia? Policial baiano, que prendeu o criminoso em 2008, revela que caçada durou 13 dias, na Bahia, quando Lázaro se entregou | Foto: PCGO

Na manhã desta sexta-feira (18/06), quando completaram 10 dias de caçada ao foragido Lázaro Barbosa, de 32 anos, a força tarefa, composta por 200 homens das polícias Civil, Militar e Federal, encontrou na mata uma vela acessa, roupa suja de sangue e uma carta escrita manualmente. Os objetos são atribuídos, inicialmente, a Lázaro.

Na tarde dessa quinta-feira (17/06), uma troca de tiros foi registrada na mata. No local, se iniciou uma mobilização por terra e pelo céu, com uso de helicópteros e drones.

O sargento da PM da Bahia, Valter Lourenço, que coordenou a caçada a Lázaro, em 2008, contou à Record TV de São Paulo que o criminoso também deu muito trabalho para um grupo de 15 agentes. Segundo o militar, foram longos 13 dias de buscas na mata de Barra do Mendes, até ele se entregar.

Naquela época, Lázaro era procurado por ser suspeito de dois homicídios no município baiano de 14 mil habitantes. Lourenço descreveu Lázaro como destemido e habilidoso para fugir pela mata e pelo rio.

Suposta carta deixada por Lázaro

Compartilhe: