Entenda o caso do sacerdote que foi humilhado durante o voo e irá receber indenização da Azul

A Azul ainda pode recorrer da decisão da Justiça de São Paulo.

Postado em: 01-10-2021 às 10h48
Por: Victoria Lacerda
A Azul ainda pode recorrer da decisão da Justiça de São Paulo. | Foto: Reprodução

Condenada pela Justiça de São Paulo, a Azul Linhas Aéreas terá que pagar uma indenização de R$ 5 mil ao sacerdote obeso que foi humilhado durante o voo. O caso ocorreu em dezembro de 2019. 

O sacerdote de 41 anos embarcou no aeroporto de Guarulhos com destino a Salvador (BA), ele alegou que chegou a pagar a taxa extra de R$30 para se sentar na poltrona considerada maior e mais confortável, porém ao se acomodar não conseguiu fechar o cinto de segurança. Com essa situação, o passageiro imediatamente chamou um comissário de bordo que aparentemente o tratou com grosseria, dizendo frases como “você não cabe aí!”, “o cinto não fecha!”, “o senhor não pode ficar aí, tem de levantar!”, de acordo com a Folha de São Paulo. 

O advogado do sacerdote afirmou à justiça que o funcionário da companhia aérea alterou o tom de voz ao solicitar que ele trocasse de poltrona, o deixando muito constrangido. A cia aérea tentou se defender no processo alegando que o passageiro não tinha como provar os insultos que foram feitos. 

Continua após a publicidade

A Azul ainda pode recorrer da decisão da Justiça de São Paulo.

Veja Também