Brasil registra 3 mortes por raiva humana; conheça transmissão, sintomas e letalidade da doença

Postado em: 05-05-2022 às 11h07
Por: Alexandre Paes
Nas regiões urbanas, a raiva humana é mais comumente transmitida por cães e gatos. Contudo, nas áreas rurais, morcegos, cavalos, raposas podem transmitir o vírus | Foto: Reprodução/Internet

Nas últimas semanas o estado de Minas Gerais (MG) registrou a morte de uma criança e dois adolescentes vítimas da raiva humana. Após os três casos surgirem, especialistas tem se atentado para o avanço dessa infecção entre populações que vivem em situação de vulnerabilidade no Brasil. Nas regiões urbanas, a raiva humana é mais comumente transmitida por cães e gatos. Contudo, nas áreas rurais, morcegos, cavalos, raposas podem transmitir o vírus.

O último caso de raiva humana registrado no estado de Goiás aconteceu em 2001, há cerca de 21 anos. No entanto, caso ocorra algum incidente com animal, a secretaria de saúde do estado orienta o que deve ser feito, já que o tempo de incubação do vírus varia de acordo com cada organismo.

Segundo o mais recente boletim epidemiológico do Ministério da Saúde, em 2020 e 2021 foram registrados 40 casos da doença no Brasil. E somente este ano, já foram confirmados três óbitos, o que trouxe um alerta para sociedade brasileira. O coordenador estadual de zoonoses acredita que o esquema de vacinação animal contra raiva auxilia bastante na prevenção de proliferação da doença

“Nos temos as campanhas de vacinação contra raiva para animais domésticos, como cães e gatos, que tem contato direto com seus tutores. Além disso é muito importante que a população tenha conscientização da importância de vacinar seus pets, e caso seja mordido ou arranhado, procurara atendimento médico” afirmou Fabrício Augusto de Sousa, coordenador do Centro de Zoonoses da SES-GO.

Transmissão

O vírus da raiva se multiplica no organismo, dependendo do local e gravidade onde houve a mordedura ou arranhamento, a doença pode demorar a se espalhar, ou se espalhar com mais facilidade se for em locais com mais terminações nervosas.

Parte desses animais que transmite a doença já estão infectados, e a maioria deles vivem em locais de situação precária, com falta de saneamento e tendo contato principalmente com morcegos, que são considerados os maiores transmissores de vírus.

Sintomas

De acordo com o médico infectologista Rodrigo Daniel de Souza, a raiva é uma doença infecciosa aguda e grave, sendo progressiva e de rápida evolução, além de possuir uma alta letalidade. O contágio se dá por meio da saliva dos animais infectados, seja pela mordedura, arranhadura ou lambedura.

Estes são alguns sintomas que o contaminado começa a sentir:

  • Mal estar;
  • Febre baixa;
  • Perda de apetite;
  • Dor de cabeça;
  • Enjoo;
  • Dor de garganta;
  • Irritabilidade;
  • Sensação de angústia;
  • Inquietude;
  • Sonolência que pode levar ao coma.

As complicações ocorrem a partir do momento que o infectado começa a ter uma forte ansiedade, febre alta, delírios, espasmos musculares involuntários e convulsões. “Em relação à gravidade, é uma doença que mata praticamente todo mundo que pega, ou seja, tem uma letalidade de praticamente de 100%. Inclusive, as crianças têm um período de incubação mais curto”.

Compartilhe: