Terça-feira, 27 de fevereiro de 2024

8 dos 10 municípios que mais emitem gases do efeito estufa estão na Amazônia; entenda o motivo

O Sistema de Estimativas de Emissões e Remoções de Gases de Efeito Estufa (SEEG) divulgou, nesta segunda-feira (13/6), um levantamento que indica os 10 municípios brasileiros que mais emitem gases do efeito estufa. Oito estão na Amazônia.

Postado em: 13-06-2022 às 17h50
Por: Ana Bárbara Quêtto
Imagem Ilustrando a Notícia: 8 dos 10 municípios que mais emitem gases do efeito estufa estão na Amazônia; entenda o motivo
A região Norte representa 60% de todo o carbono liberado no país. | Foto: Reprodução

 O Sistema de Estimativas de Emissões e Remoções de Gases de Efeito Estufa (SEEG) divulgou, nesta segunda-feira (13/6), um levantamento que indica os 10 municípios brasileiros que mais emitem gases do efeito estufa. Oito estão na Amazônia.

Altamira (PA), São Félix do Xingu (PA) e Porto Velho (RO) lideram entre os 5.570 municípios brasileiros. Todas as cidades do estado do Amazonas estão na lista pelo desmatamento. A região Norte representa 60% de todo o carbono liberado no país.

Lista dos municípios e emissões de gases do efeito estufa (dados em milhões de toneladas de CO2e):

Continua após a publicidade

1. Altamira (PA) – 35,2

2. São Félix do Xingu (PA) – 28, 9

3. Porto Velho (RO)– 23,3

4. Lábrea (AM)– 23,2

5. São Paulo (SP)– 16,6

6. Pacajá (PA) – 16,2

7. Novo Progresso (PA)– 14,9

8. Rio de Janeiro (RJ)– 13,8

9. Colniza (MT)– 13,5

10. Apuí (AM)– 12,5

11. Novo Repartimento (PA)– 11,9

Entre os 3,5 toneladas de CO2e (medida que reúne todos gases, do carbônico ao metano), Altamira emite 33,4 somente com o desmatamento. A cidade paraense tem população estimada de 117 mil habitantes, e emite o dobro contabilizada por São Paulo, que possui 12 milhões de habitantes.

Desmatamento

Em 2019, ano em que a pesquisa foi feita, os dez municípios emitiram juntos 198 milhões de toneladas brutas de dióxido de carbono equivalente (MtCO2e), mais do que a Holanda emite. O estudo mostra que, na última década, a maior parte das emissões de gases é uma consequência direta do desmatamento.

Em Novo Progresso (AM), por exemplo, a BR-163 registrou a décima maior emissão por habitante do país, com 580 toneladas de CO2e por ano. De acordo com o EcoDebate, o número equivale 14 vezes a emissão de um cidadão do Qatar, o país com maior quantidade de carbono per capita do planeta.

Em contrapartida, cidades extensas com muitas áreas protegidas, no estado do amazonas, também têm grandes remoções de carbono. O primeiro no ranking é Altamira (PA). Em 2019, foi o maior município do país, em área, que teve remoções de 25,7 MtCO2e.

Segundo o MapBiomas Alerta, 98% do desmatamento na região seria ilegal. Ainda em 2019, o setor agropecuário foi o maior emissor em 67% dos municípios brasileiros, devido o gado de corte.

Como é possível liberar carbono?

Quando uma árvore morre por decomposição, ou quando é queimada, ela libera carbono (CO2). O SEEG usa como unidade de medida a tonelada de CO2. Porém, a floresta também pode emitir outros gases, como: o metano (CH4), que equivale a 25 toneladas de CO2; e o óxido nitroso (N2O), que equivale a 270 toneladas.

“Se a floresta tem 200 toneladas de carbono vivas, e essas 200 toneladas vão oxidando depois do desmate, o carbono vira CO2 e, se está em condições anaeróbicas (sem oxigênio), pode até virar metano”, afirma Tasso Azevedo, coordenador do SEEG.

É exatamente por isso que as cidades na Amazônia apresentam altos índices de emissões por habitante. Há poucos moradores, no entanto, muito desmate.

Veja Também