Biden e Putin aceitam reunião para “discutir a segurança e a estabilidade da Europa”

Apesar da informação ser divulgada, o governo russo foi cauteloso ao comentar a possível reunião entre Putin e Biden, afirmando ser algo "prematuro".

Postado em: 21-02-2022 às 09h37
Por: Ícaro Gonçalves
Apesar da informação ser divulgada, o governo russo foi cauteloso ao comentar a possível reunião entre Putin e Biden, afirmando ser algo "prematuro" | Foto: Reprodução

A convite do presidente francês Emmanuel Macron, os presidentes dos Estados Unidos e da Rússia, Joe Biden e Vladimir Putin, aceitaram se reunir “para discutir a segurança e a estabilidade estratégica na Europa”. Apesar da informação ser divulgada, o governo russo foi cauteloso ao comentar a possível reunião entre Putin e Biden, afirmando ser algo “prematuro”.

Após o anúncio, a secretaria de imprensa da Casa Branca divulgou um comunicado em que afirma que os EUA sempre optará por buscar a diplomacia para resolver as tensões em andamento, até que o primeiro passo de Putin seja dado.

“Como o presidente deixou claro repetidamente, estamos comprometidos em buscar a diplomacia até o momento em que a invasão começar. O secretário Blinken e o ministro das Relações Exteriores, Lavrov, devem se reunir ainda esta semana na Europa, desde que a Rússia não prossiga com uma ação militar”, pontuou em notaa secretaria Jen Psaki.

Continua após a publicidade

A porta-voz da Casa Branca deixou claro, também, que o país está pronto caso Putin escolha o caminho oposto. “Também estamos preparados para impor consequências rápidas e severas caso a Rússia opte pela guerra. E, atualmente, a Rússia parece estar continuando os preparativos para um ataque em grande escala à Ucrânia muito em breve”, frisou.

“Prematuro”, diz governo russo

O governo russo divulgou comunicado se posicionando de forma cautelosa em relação à possível reunião entre Putin e Biden. “Há um entendimento sobre o fato de ter que continuar o diálogo entre ministros (das Relações Exteriores). Falar sobre planos concretos para organizar reuniões de cúpulas é prematuro”, afirmou o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov.

“Uma reunião é possível caso os chefes de Estado a considerem útil”, acrescentou, antes de afirmar que Biden e Putin sempre têm a possibilidade de conversar “por telefone ou de outra maneira, quando necessário”.

Veja Também