ONU aprova tratado de poluição por plástico, pacto global mais significativo desde o acordo de Paris em 2015

Poluição plástica é uma crise ambiental que se estende das fossas oceânicas ao topo das montanhas

Postado em: 02-03-2022 às 15h44
Por: Maria Paula Borges
Poluição plástica é uma crise ambiental que se estende das fossas oceânicas ao topo das montanhas | Foto: UN Environment

A Organização das Nações Unidas (ONU) aprovou um acordo para criar o primeiro tratado global de poluição por plástico, nesta quarta-feira (2/3). Pela ONU, o acordo foi descrito como o pacto ambiental mais significativo desde o acordo climático de Paris de 2015. Em Nairóbi, no Quênia, os estados-membros conversaram por semanas para concordar com o esboço de um acordo para conter a crescente poluição plástica. As informações são da Agência Brasil.

Segundo a ONU, a poluição plástica é uma crise ambiental que se estende das fossas oceânicas ao topo das montanhas. Após a adoção de resolução para criar um tratado legalmente vinculante sobre poluição por plástico, autoridades governamentais apoiaram a causa. O tratado deve ser finalizado até 2024.

O presidente da Assembleia das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Unea), Espen Barth Eide, afirmou que, ao firmar o acordo, estão fazendo história. “A poluição plástica se transformou em epidemia. Com a resolução de hoje, estamos oficialmente no caminho a cura”.

Continua após a publicidade

O Unea nomeou a resolução como “pacto ambiental mais significativo desde o acordo de Paris”. Além disso, o acordo foi escrito em termos amplos e um comitê intergovernamental agora tem a tarefa de negociar um tratado vinculante que terá efeito cascata em empresas e economias em todo mundo, segundo a Agência Brasil.

Assim como qualquer tratado que imponha restrições à produção, uso ou design de plástico, a resolução afetará empresas de petróleo e produtos químicos que fabricam plástico bruto. O acordo afetará também significativamente as economias dos principais países produtos de plástico, como Estados Unidos, Índia, China e Japão.

Mesmo com a união das autoridades da ONU para celebrar o acordo, ainda há divergências a respeito do que deve ser incluído no pacto final, segundo Franz Perrez, embaixador da Suíça para o Meio Ambiente. “Esta é uma divisão entre aqueles que estão ambiciosos e querem encontrar uma solução e aqueles que não querem encontrar uma solução por qualquer motivo”, disse.

Conforme pesquisa da empresa Ipsos, há um apoio significativo para um tratado da ONU sobre poluição plástica e os delegados foram rápidos para comemorar a conquista de Nairóbi. “Este é apenas o fim do começo, temos muito trabalho pela frente. Mas é o começo do fim do flagelo do lixo plástico para o planeta”, afirmou Monica Medina, chefe da delegação dos Estados Unidos.

Veja Também