Ex-chanceler Ernesto Araújo propõe nova Constituição contra aborto e favor das armas

Postado em: 06-09-2021 às 11h11
Por: Marcelo Mariano
Acusado de manchar a imagem do Brasil no exterior, Ernesto Araújo deixou o cargo de ministro das Relações Exteriores em março de 2021 | Foto: José Cruz/Agência Brasil

Durante sua participação no evento conservador CPAC Brasil, o ex-chanceler Ernesto Araújo propôs um “grande plebiscito de reforma constitucional” com o objetivo de “transferir o poder do complexo político de volta para o povo”.

A nova Constituição, segundo a ideia do ex-chanceler, teria uma “cláusula estabelecendo a liberdade de expressão de maneira incondicional e inquestionável, bem como liberdade de associação, direito de porte de armas para autodefesa, liberdade de culto, de crença e de consciência, direito à vida a partir da concepção, direito dos pais de educarem os filhos de acordo com seus princípios”.

Acusado de manchar a imagem do Brasil no exterior, Ernesto Araújo deixou o cargo de ministro das Relações Exteriores em março de 2021, sendo substituído pelo goiano Carlos Alberto Franco França.

Na semana passada, o ex-chanceler tirou licença não remunerada de um ano da carreira diplomática. Especula-se que ele pode ser candidato a deputado federal ou senador por Brasília.

Compartilhe: