Há 10 meses para as eleições, políticos bolsonaristas intensificam ataques à Moro e Lula nas redes sociais

Postado em: 15-01-2022 às 15h00
Por: Victoria Lacerda
Com alguns nomes confirmados, os atuais eleitores de Jair Bolsonaro (PL), intensificam os ataques nas redes sociais. | Foto: Reprodução/Internet

Decisivo para o futuro do país, fazendo as contas a partir deste sábado (15/1), faltam exatamente 260 dias para o primeiro turno das eleições presidenciais de 2022, que ocorrerá no dia 2 de outubro. Com alguns nomes confirmados, os atuais eleitores de Jair Bolsonaro (PL), intensificam os ataques nas redes sociais a políticos com ideais diferentes do atual presidente, Moro e Lula são os mais atacados até então. 

Os principais ataques da extrema direita são encontrados no twitter, o atual vereador do Rio de Janeiro, Carlos Bolsonaro (Republicanos), afirmou que o ex-ministro Sergio Moro representa o que há de pior na natureza humana. A deputada federal de São Paulo, Carla Zambelli (PSL), publicou uma montagem zombando o ex-presidente Lula, na publicação está escrito “HAHAHA, o ex-presidiário tem agenda política sem público”.  

Uma das maiores apostas de Bolsonaro para a candidatura ao papel de governador de Goiás ainda é Major Vitor Hugo (PSL), ao analisar seu twitter também é possível encontrar diversos  ataques a Moro e Lula com publicações dos seus colegas políticos e eleitores. Através de mensagem “misteriosa” ele afirmou: “O tempo revela as personalidades, os objetivos, os interesses… o povo está cada vez mais atento. Traíras, ladrões… de agora até outubro, muitas outras máscaras cairão…”, disse o atual deputado federal após o pré-candidato do Podemos ser hostilizado ao desembarcar na Paraíba, sendo chamado de ”juiz ladrão” e “traíra”.

O mais novo filiado ao Podemos, Deltan Dallagnol, também soltou algumas farpas ao petista em seu twitter. “Não custa lembrar: Lula foi condenado por corrupção e lavagem em 3 instâncias: JF, TRF, STJ. A condenação foi anulada pelo STF, mas ele não foi absolvido. Alckmin foi acusado por corrupção, caixa dois e lavagem envolvendo mais de R$ 11 milhões pagos pela Odebrecht”, afirmou Dallagnol, ex-procurador e ex-coordenador da Operação Lava Jato.

Vale lembrar que os brasileiros vão às urnas para eleger não só o presidente da República, mas também os governadores, senadores e deputados federais, estaduais e distritais. O eventual segundo turno será realizado no dia 30 de outubro. 

Ao menos 12 pré-candidatos estão na disputa para presidente e na primeira pesquisa de 2022, realizada pela Quaest Consultoria e Pesquisa e paga pela Genial Investimentos, mostra que o ex-presidente Lula (PT) mantém a liderança na corrida presidencial. Os dados da pesquisa mostram que o petista tem 45% das intenções de voto, seguido por Jair Bolsonaro (PL), que tem 23% e logo na sequência aparece Sergio Moro (Podemos) com 9%. 

Compartilhe: