Flávio Canedo diz que ele e Magda foram pegos de surpresa com posse de Vitor Hugo no PL

Postado em: 13-05-2022 às 08h57
Por: Francisco Costa
Ex-presidentes avisaram o comandante da legenda no País, Valdemar Costa Neto, que estariam em viagem de negócios nos Estados Unidos durante a semana | Foto: Reprodução

Os ex-presidentes do PL de Goiás, Flávio Canedo e a deputada federal Magda Mofatto, foram pegos de surpresa com o anúncio de que o pré-candidato ao governo do Estado, deputado federal major Vitor Hugo, assumiu o comando da sigla, com o aval do presidente nacional, Valdemar Costa Neto. “Não sei o que aconteceu”, disse Flávio ao jornal O Hoje.

Vale lembrar, Flávio foi presidente do partido até a última semana. Magda, então, assumiu o comando da sigla. Os dois, segundo Canedo, viajaram para os Estados Unidos esta semana para tratar de negócios. Eles possuem um escritório de captação de recursos no país que não visitavam há dois anos por causa da pandemia da Covid-19.

Flávio explica que a viagem já estava marcada e que Valdemar Costa Neto foi avisado. “O assunto já está resolvido [no escritório], inclusive vamos voltar nos próximos dias.” Por isso, o ex-presidente do PL não adentrou o assunto, pois disse não saber o que aconteceu.

“Na segunda-feira (17), quando estivermos em Goiás, vamos tomar pé do que aconteceu e falar com a imprensa.” Apesar de não dizer que está chateado, ele fala em “estranheza”.

“É estranho. Estamos [ele e Magda] no partido há dez anos, ajudamos a fundá-lo em Goiás. Pegamos com sete diretórios municipais, hoje são mais de 230”, revela.

Foto: Reprodução

Silêncio

Ainda na quarta-feira (11), a assessoria de Magda e Flávio divulgou nota de “silêncio” sobre o ocorrido. “Silêncio fala mais que mil palavras”, foi o posicionamento oficial dos ex-presidentes do PL após o anúncio de que major Vitor Hugo seria novo líder da sigla em Goiás.

Vale lembrar, Magda tinha assumido a liderança da sigla no último dia 8 de maio no lugar do marido, Flávio. Nos bastidores, o clima já era de insatisfação dentro da legenda, uma vez que Vitor Hugo foi lançado como pré-candidato ao governo por imposição do presidente Bolsonaro (PL).

A ex-presidente do PL articulava há meses para que o partido apoiasse pré-candidatura do ex-prefeito Gustavo Mendanha (Patriota) e Vitor Hugo teria sido imposto sem conversar com as bases do partido, revelam interlocutores ao O Hoje.

Com a saída da presidência, a permanência de Magda e Flávio ainda não está definida. Flávio não especificou sobre essa questão. A expectativa é que até segunda-feira, como ele mesmo antecipou ao O Hoje, eles se manifestem.

Um aliado dos ex-presidentes informou ao jornal, contudo, que já existia essa articulação há cerca de 20 dias. A definição, entretanto, ocorreu durante a viagem do casal aos Estados Unidos.

Aliado de Madga e Flávio, Gustavo Mendanha – que quase se filiou ao PL – também foi procurado para comentar o assunto. Ele, todavia, apesar da boa relação com os dois ex-presidentes, preferiu não falar sobre questões internas da sigla.

Novo presidente

Vítor Hugo assumiu, em vídeo divulgado nas redes sociais, o comando do PL em Goiás. Ele se tornou presidente do diretório estadual alguns dias após Magda Mofatto ter sido empossada.

Na gravação, a liderança do major é reiterada pelo presidente nacional da legenda, Valdemar da Costa Neto. 

Destaca-se, o PL realiza um encontro regional em Goiânia, neste sábado (14), para emplacar novas filiações, mas também para apresentar as pré-candidaturas majoritárias de major Vitor Hugo (governo) e Wilder Morais (Senado). O evento ocorre na Chácara Engenho, no setor Sul, às 10h.

Compartilhe: