12 pessoas são presas suspeitas de explodir bancos em Goiás

Postado em: 31-05-2021 às 09h12
Por: Nielton Soares
Segundo a polícia, os envolvidos integram um grupo criminoso especializado em tráfico de drogas e posse ilegal de arma | Foto: reprodução

A Polícia Civil de Goiás (PCGO) prendeu 12 pessoas, sendo sete prisões temporárias e cinco prisões em flagrante – convertidas em preventiva pela Justiça, durante deflagração da Operação Gemini, na semana passada.

Os envolvidos são suspeitos de integrar um grupo criminoso especializado em crimes de furto com utilização de explosivo e armamento pesado. Eles foram indiciados por tráfico e associação para o tráfico de drogas e posse ilegal de arma de fogo.

Segundo a polícia, eles teriam tentado furtar agências do Banco do Brasil (BB), localizados em Carmo do Rio Verde e Firminópolis.

Perfil

Conforme o inquérito, dois irmãos gêmeos, de 23 anos, eram os principais articuladores e executores dos crimes de furto com uso de explosivo. O grupo chegou a realizar arrombamentos e introduziram os explosivos em caixas eletrônicos da agência do BB em Carmo do Rio Verde, em 06 de março deste ano.

Outro crime foi em uma agência do mesmo banco de Firminópolis, durante a madrugada do dia 05 de abril. Os investigadores relataram que os irmãos se revezavam nas funções: um praticava a execução (explosão dos caixas bancários) e o outro prestava suporte (como fuga, por exemplo).

Já os demais, teriam participados materialmente das ações, fornecendo veículos ou apoio logístico para o grupo. Alguns foram mortos durante confronto com policiais militares, quando foram apreendidas cinco armas de fogo, veículos e outros apetrechos utilizados para arrombar e explodir os caixas eletrônicos.

Apreensão

Ao todo, a operação cumpriu 16 mandados de busca e apreensão deferidos judicialmente. Os policiais apreenderam cerca de 2,5 Kg de drogas ilícitas (maconha) e uma arma de fogo, tipo revólver, calibre ponto 38 – municiado.

As ações policiais foram realizadas nos municípios de Goiânia, Rialma, Ceres, Alexânia, Padre Bernardo e também no Distrito Federal. O inquérito deverá ser concluído nos próximos dias e encaminhado ao Poder Judiciário para dar seguimento a persecução penal em desfavor dos investigados.

A operação foi batizada de Gemini (Gêmeos, em inglês) por conta da liderança exercida por dois irmãos gêmeos dentro da suposto associação criminosa.

Compartilhe: