Hoje é Dia: semana tem conscientização sobre risco da diabete

É fundamental o foco na prevenção e o diagnóstico precoce para que os tratamentos sejam mais eficientes

Postado em: 13-11-2022 às 16h05
Por: Cecília Epifânio
É fundamental o foco na prevenção e o diagnóstico precoce para que os tratamentos sejam mais eficientes.

Fome e sede frequentes, vontade de urinar, fraqueza e cansaço estão entre os principais sintomas das pessoas com diabetes. Segundo especialistas, nesta segunda (14), Dia Mundial da Diabetes é fundamental o foco na prevenção e o diagnóstico precoce para que os tratamentos sejam mais eficientes.

A doença não é restrita a idosos ou mesmo adultos. Inclusive, na infância são necessários cuidados especiais. Isso porque tem chamado atenção dos profissionais de saúde os casos de obesidade infantil, relacionados à falta de atividade física e aos maus hábitos alimentares.

A Empresa Brasil de Comunicação tem, em seu acervo, reportagens e programas jornalísticos que destacam os principais cuidados com a doença.

Continua após a publicidade

O programa Caminhos da Reportagem, em 2019, por exemplo, mostrou o quanto os brasileiros estão ligados ao consumo do açúcar e como esse componente interfere na saúde de quem exagera na dose.

O consumo exagerado de açúcar correlacionado a outros fatores, entre eles o estilo de vida e o histórico familiar, pode trazer sérios danos à saúde, como câncer e diabetes tipo 2, o diabetes mellitus.

Especialistas explicam que o diabetes ocorre quando o pâncreas não produz suficientemente o hormônio insulina. Esse hormônio é que auxilia o organismo a transformar o açúcar (ou glicose) em energia.

Durante a pandemia de covid-19, os especialistas chamaram a atenção para as relações entre a doença e a diabetes. Inclusive, há o fato do relaxamento da prevenção e dos tratamentos em vista de que as pessoas passavam mais tempo dentro de casa.

Entre os riscos da doença, segundo o cirurgião vascular Alexandre Coutinho em entrevista à Rádio Nacional da Amazônia, está a possibilidade de amputamento de membros.

O especialista disse que aumentou esse tipo de procedimento entre 2012 e 2021, principalmente durante a pandemia. A cada hora, três pessoas sofrem amputação de pernas ou pés no Brasil.

Ele chamou a atenção para os sinais de alertam como formigamento nos pés, falta de sensibilidade e lesão por corte ou outro ferimento.

Segundo a Agência Brasil, em reportagem publicada em julho, o Brasil se tornou o sexto país em incidência de diabetes no mundo e o primeiro na América Latina (15,7 milhões de pessoas adultas com esta condição). A estimativa é que, até 2045, a doença alcance 23,2 milhões de adultos brasileiros.

O Programa Sem Censura também tratou de tema com entrevista com o médico endocrinologista Márcio Dytz. Ele explica que a doença é silenciosa e perigosa. Ele também detalha o tratamento com insulina e como se previnir em relação à doença.

Veja Também