Segunda-feira, 24 de fevereiro de 2020
GOIÂNIA-GO
{{tempo.temperatura}}°

Política

Caiado convida Guedes para explicar ‘desafio’ do ICMS

Postado em: 11-02-2020 às 14h30
O governador goiano esteve em Brasília se reunindo com mais 21 colegas para tratar sobre pacto federativo, novo Fundeb, fundo de segurança nacional e ICMS – Foto: Reprodução.

Nielton Soares

O governador Ronaldo Caiado (DEM) se reuniu em Brasília com mais 21 governadores para debaterem temas do pacto federativo, novo Fundeb, fundo de segurança nacional e impostos sobre combustíveis; nesta terça-feira (11). Na oportunidade, o goiano ligou para o ministro da Economia Paulo Guedes e o convidou para participar do encontro e explicar acerca do ‘desafio’ do presidente Jair Bolsonaro para os Estados de se zerar os impostos de combustíveis.

Guedes chegou no final da manhã no hotel, onde os governadores estavam reunidos. Após, a reunião, Caiado falou à imprensa sobre a preocupação dos Estados em 'abrir mão do ICMS dos combustíveis”, destacando que a ‘crise’ não pode ser intensificada. “Ninguém aqui tem intenção de intensificar uma crise, que a população é a grande penalizada. Como tal, o que tenho colocado é que não é só o meu Estado, mas a totalidade dos Estados. Ninguém consegue sair de uma crise fiscal sem que haja uma parceria com a união ou seja do regime de recuperação fiscal”, disse. 

O governador de Goiás destacou ainda que é necessário alternativas em substituição à arrecadação de impostos pelos Estados e acrescentou haver a necessidade em se fazer isso o “mais rápido possível”, e criticou o que chamou de se “criar situação que possa intensificar um gasto de energia enorme”. De acordo com Caiado, nem um dos Estados e nem a União tem a possibilidade, atualmente, em “abrir mão de impostos. Isto passa a ser um assunto que precisa ser superado”, afirmou. 

Para ele, a proposta em cobrar dos entes federados uma redução do principal impostos, é querer fatiar a reforma Tributária. “Não se faz de maneira fatiada, faz na interessada de uma discussão de um todo”, frisou. Caiado comentou ainda que a reforma precisa contar com “mecanismos de peso e contrapeso”, permitido compensações. “É o que está sendo proposto pelo Governo Federal”, amenizou. 

Governadores

Estão presentes os governadores do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB); do Acre, Gladson Cameli; de Alagoas, Renan Filho; do Amazonas, Wilson Lima; do Amapá, Waldez Goes; da Bahia, Rui Costa; do Ceará, Camilo Santana; do Espírito Santo, Renato Casagrande; do Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja; do Mato Grosso, Mauro Mendes; do Pará, Helder Barbalho; da Paraíba, João Azevêdo; de Pernambuco, Paulo Câmara; do Piauí, Wellington Dias; do Paraná, Ratinho Junior; do Rio de Janeiro, Wilson Witzel; do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra; do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite; de Rondônia, Coronel Marcos Rocha; e de Roraima, Antonio Denarium. O governador João Doria, de São Paulo, estava representado pelo secretário e ex-ministro Antonio Imbassahy. 

Seja o primeiro a comentar

Fazer comentário

Acesse sua conta para comentar, é rápido e gratuito.

Inscreva-se na newsletter e receba

conteúdo exclusivo

Digite aqui o que deseja pesquisar